OPINIÃO Sobre o essencial

As recentes decisões de fechar comércios e definir atividades essenciais esquentaram os ânimos e debates. Mais profundo do que o debate sobre as decisões políticas para conter a pandemia está uma discussão necessária. Afinal de contas, o que é essencial?

Em filosofia, o essencial é aquilo que confere ao particular a sua característica essencial, aquela sem a qual este particular não existiria. Ao longo da história inúmeros debates existiram sobre a essência das coisas, do mundo, dos números, dos fenômenos, dos entes. No cotidiano, o essencial constitui aquilo de mais básico, necessário e indispensável. É nestes termos que se afirma o economicamente necessário. O que não pode faltar para que a sociedade funcione? Pensando nestes termos, é óbvio que surgem replicações dos direitos positivos como a necessidade de alimento, segurança, abrigo. Não há vida sem pessoas alimentadas, sem pessoas medicadas, sem pessoas em segurança. Para manter estas atividades essenciais é preciso que exista transporte (e postos de gasolina), energia, sistemas de dados e sistema bancário, alimentação (cultivo, colheita, controle de pragas, transporte, industrialização). A lista é, obviamente, grande. Entretanto, o debate do que é essencial para a economia me lembra de um debate muito presente na educação.

O que é essencial ensinar? Quando olho para essa pergunta e me deparo com os comentários ao redor dela, tenho a impressão de que as respostas são sempre de cunho pessoal. Se não uso Bhaskara no meu trabalho, o ensino de matemática não foi essencial. Se não me é importante saber se uma oração é subordinada predicativa, o ensino de gramática não foi essencial. Se não trabalho num laboratório de genética, o ensino de biologia não foi essencial. Cada sujeito é a sua própria medida para o mundo que o cerca. Para responder aos que indagam sobre a importância de se aprender sobre tantos assuntos nos anos escolares, eu costumo responder:
(1) não temos a visão do todo. A escola é o momento de apresentar conteúdos aos alunos. Por não sabermos para onde seguirão e quais são suas aptidões e afinidades, precisamos apresentar tudo a todos para que cada um siga seu caminho tendo a maior gama possível de opções. Não ensinar tudo é limitar os alunos. Também digo que
(2) há importâncias ocultas no aprendizado de disciplinas que consideramos inúteis. Muitas delas nos trazem novas formas de pensar e resolver problemas. Aprender essas disciplinas cria sinapses que serão utilizadas no futuro sem que tenhamos consciência disso. E por último,
(3) trago Hannah Arendt para dizer que a novidade da próxima geração só aparecerá se dermos a ela todo o saber disponível. Se tentamos moldar a geração com os conhecimentos específicos ou limitados, estamos apenas permitindo que a nova geração implante uma ideia antiga que lhe foi herdada. Minhas respostas para a questão do educacionalmente essencial podem iluminar o debate sobre o economicamente essencial.

Quando Eduardo Leite (PSDB), governador do RS, decreta que apenas alimentos podem ser comercializados nos supermercados, lhe falta a visão do todo. Embora alimentos sejam altamente necessários, há tantas necessidades diárias das pessoas que nenhum governo é capaz de perceber. Uma lâmpada é essencial para que uma pessoa de idade não tropece e se acidente no meio da noite. Um chuveiro é essencial para que o banho gelado não adoeça o morador da Serra Gaúcha. As coisas quebram e precisam ser recompradas, repostas, arrumadas. Além disso, por mais que não seja possível ver, há diversas outras conexões que não somos capazes de compreender na economia. Há tantas atividades e necessidades e até mesmo produtores são consumidores. Definir o que é essencial na economia é impedir novas conexões, é limitar a criação de redes que facilitam a resolução de problemas sociais. Por fim, as restrições na economia impedem que o novo surja. O mercado funciona para resolver problemas. Em um novo momento de pandemia, surgem novas demandas e lacunas que podem ser preenchidas através da criatividade empreendedora. Limitar a economia é limitar as novas soluções, reproduzindo um modelo antigo, imposto por quem detém o poder. Há de se considerar, para além das frases de efeito e dos panfletos, que o essencial numa economia é a produção e comercialização de bens e serviços. Limitações sobre quem pode produzir e comercializar, como pode produzir e comercializar, onde pode produzir e comercializar, o que pode ser produzido e comercializado, não é uma defesa do que é essencial numa economia. O essencial numa economia é a liberdade.

por: Filipe Celeti, editor, filósofo e mestre em educação.
Postado no facebook da Bunker Editorial (https://www.facebook.com/bunkereditorial)

Um comentário em “OPINIÃO Sobre o essencial

  1. Muito bom o artigo. Sim, devemos continuar lutando pela nossa liberdade, pois é um bem precioso. Infelizmente, poucos brasileiros percebem a sutileza daqueles que, tomando como base os “absolutos” da ciência e o demagogo discurso que diz que tais “ações restritivas” visam o bem da população, se estabelecem como verdadeiros ditadores num país nominalmente republicano. Somente o Evangelho pode trazer liberdade saudável e responsável, baseada na justiça do Reino de Deus; no amor que é gerado nos corações daqueles que são alcançados pela maravilhosa Graça do Evangelho. Do contrário, tal liberdade poderá se tornar uma autorização legítima para as piores atrocidades e práticas pecaminosas que jorram de um coração que vive nas trevas distante de Deus, com é próprio dos países que veem adotando o liberalismo moral. O Evangelho do Senhor Jesus Cristo é a solução. Que a nossa oração seja como aquela ensinada por Jesus: “…venha o teu reino; faça-se a tua vontade, assim na terra como no céu;” Mateus 6:10

    Bom dia.

    >

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Gilberto Celeti

Quando eu crescer, quero ser criança!

www.alerocha.net/

Apenas um peregrino...

Gospel1 WE BORN TO BROADCAST HIM

Just another WordPress.com weblog

My Blog Divonsir Borges

Pesquisar,analisar,arquivar,divulgar.

biblioterapiaa.wordpress.com/

Palavra originada do grego. Biblion: todo tipo de material bibliográfico ou de leitura Therapein: tratamento, cura ou restabelecimento

Pregando a Verdade

Reflexões cristãs para o nosso dia a dia

Florencio1's Blog

Just another WordPress.com site

martinhochimene

A topnotch WordPress.com site

martinchimene

Martinho Chimene

APEC / Brasil

Proclamar a pessoa extraordinária de Jesus Cristo a todas as crianças, em todos os contextos e culturas é a prioridade máxima!

Pr Eber Jamil's Weblog

O CANTINHO DAS MINHAS IDEIAS...

TEOPOESIA

Quando eu crescer, quero ser criança!

%d blogueiros gostam disto: