16 – Ez 4:9-17

Ah! Senhor! Eu venho agora  lhe falar,

Que minh’ alma isso não pode suportar

Porque nunca foi, jamais, contaminada

Por comida tão imunda e estragada.

 

O Senhor mudou então a sua ordem:

Não precisa mais usar esterco de homem,

Faça sobre o esterco de vacas  seu pão,

E será isto um sinal pra esta nação:

 

Comerão o pão por peso e ansiedade,

Beberão, mas por medida e com espanto,

Pão e água haverá de lhes faltar,

 

Sofrerão no seu pecado e impiedade,

Em seus olhos haverá amargo pranto,

Uns com os outros haverão de se espantar.

 

Gilberto Celeti

Anúncios

15 – Ez 4:9-17


Trigo, favas, cevada e lentilha,
Junta tudo e mete-os na vasilha,
Faze deles pão que te alimente,
Um pouco cada dia, tão somente.

Naquele tempo que estarás deitado
O teu pão deverá ser cozinhado
Sobre esterco humano, bem à vista
De todo o povo, para que assista

De antemão, o que vai acontecer:
Israel, pão imundo há de comer,
O sustento de pão eu tirarei

Entre as nações para onde os lançarei.
Sim, por preço será tua comida,
E a água também, será medida.

Gilberto Celeti

14. Ez 4:4-8

14. Ez 4:4-8


Fica deitado sobre o lado esquerdo
E leva sobre ti a iniquidade
Da casa de Israel, cuja maldade
Me leva ao juízo, e assim procedo:

Pra cada ano de iniquidade
Um dia ficarás ali deitado,
São trezentos e noventa , bem contados,
Que Israel viveu em falsidade.

E quando estes dias tu cumprires,
Sobre o lado direito deitarás,
E a iniquidade de Judá tu levarás.

Serão quarenta dias. Não te vires,
Preso com cordas é que estarás,
Com o rosto e o braço profetizarás.

Gilberto Celeti

13. Ez 4:1-3

 

Toma um tijolo, ó filho do homem
Põe-no diante de ti e grava
Nele a cidade de Jerusalém
Cuja rebelião cresce e se agrava.

Edifica altas fortificações
E coloca um forte cerco à cidade,
Arraias e aríetes aos montões,
E também tranqueiras à vontade.

Toma também, do ferro puro,
Uma assadeira e põe por muro
Entre ti e a cidade infiel.

Dirige para ela o teu rosto,
Será cercada e terá desgosto,
Isto é sinal pra casa de Israel.

Gilberto Celeti

12. Ez 3: 22-27

Ali no vale eu vi a glória do Senhor
E o fulgor que esta gloria encerra
Me fez cair com o rosto sobre a terra.
Bendita seja a glória do Senhor!

Então o Espírito em mim entrou
Me pos de pé e comigo assim falou:
“Fica dentro de casa, bem trancado,
Porque com cordas tu será ligado,

Ao meio deles tu não sairás,
Com a língua presa, mudo ficarás,
E não serás capaz de os repreender;

Mas quando a Palavra eu te disser,
Assim diz o Senhor tu lhes dirás,
Quer ouçam ou não, com coragem falarás.”

Gilberto Celeti

11. Ez 3:20-21


Quando o justo vier a se desviar
E a maldade estiver a praticar,
A função do Atalaia é avisar.
Se te ouvir, se arrepender e não pecar,

Certamente este justo viverá
E sua alma, Atalaia, salvarás;
Mas se não for devidamente avisado
Tropeçara e morrerá no seu pecado.

O bem que praticou fica esquecido,
O seu sangue de ti é requerido,
O Atalaia tem com Deus um compromisso

E fielmente vai fazendo o seu serviço.
A realidade ele não pode esconder,
Fala a verdade, isto doa a quem doer.

Gilberto Celeti

10. Ez 3:15-19


Sete dias eu estive ali sentado,
Em Tel-Abib, junto ao rio Quedar.
Com a voz de Deus o silêncio foi quebrado:
“Atenta bem para a missão que vou te dar,

Vem agora, ó Atalaia de Israel,
Da minha boca a palavra ouvirás,
O que se espera é que seja bem fiel.
Se ao perverso eu disser: Tu morrerás,

E não fizeres nada para o impedir,
Certamente ele há de se perder
E o seu sangue de tua mão eu vou pedir;

Mas, se avisares e ele não se converter,
Na sua maldade certamente morrerá
E tu salvaste a tua alma de sofrer.”

Gilberto Celeti