DESGRUDAR-SE DA INVEJA

DESGRUDAR-SE DA INVEJA

inveja 3

Aquele cujo olho lacrimeja
Ao ver no outro a felicidade,
Que vibra lá no íntimo e festeja
Se outro chora de infelicidade,
Só pode estar tomado de inveja!

Quem tem prazer em ouvir qualquer maldade
Que faz o outro ser diminuído,
E com um ar de superioridade
Injúria acrescenta ao caído,
Tomado está de inveja, na verdade!

E pra não ser por ela corroído
Primeiro deve identificá-la;
E com soluços e arrependido,
Orar pra de sua alma extirpá-la,
E ver na cruz que dela foi remido.

E outra passa a ser a sua fala,
E outra passa a ser sua atitude;
Para a maledicência ele se cala,
E vai buscar no outro uma virtude,
E tem pra seus valores outra escala.

Querer ser mais que o outro não o ilude,
Chorar com o que chora ele aprende,
A sua alma volta a ter saúde
E alegre com o contente, compreende:
Que bom que dele a inveja se desgrude.

Gilberto Celeti

Versões de Provérbios 14:30:
“O ânimo tranquilo é a vida da carne, mas a inveja é a podridão dos ossos.” (Tradução Brasileira).
“O ânimo sereno é a vida do corpo, mas a inveja é a podridão dos ossos.” (Revista e Atualizada).
“O sentimento sadio é a vida para o corpo, mas a inveja é podridão para os ossos.” (Corrigida e Atualizada).
“O coração com saúde é a vida da carne, mas a inveja é a podridão dos ossos. (Revista e Corrigida)
“Um espírito manso e tranquilo prolonga a vida, mas a inveja acaba destruindo a saúde do homem.” (Bíblia Viva).
“O coração em paz dá vida ao corpo, mas a inveja apodrece os ossos.” (NVI)
“A paz de espírito dá saúde ao corpo, mas a inveja destrói como câncer.” (Nova Tradução na Linguagem de Hoje).
“Um coração em paz dá saúde ao corpo, mas a inveja corrói os ossos.” (A Mensagem – Linguagem contemporânea).

A INVEJA

A INVEJA

Aquele cujo olho lacrimeja
Ao ver no outro a felicidade,
Que vibra lá no íntimo e festeja
Se o outro chora de infelicidade
Só pode estar tomado de inveja!

Quem tem prazer em ouvir qualquer maldade
Que faz o outro ser diminuído
E com um ar de superioridade
Injúria acrescenta ao caído,
Tomado está de inveja, na verdade!

E pra não ser por ela corroído
Primeiro deve identificá-la;
E com soluços e arrependido,
Orar pra de sua alma extirpá-la,
E ver na cruz que dela foi remido.

E outra passa a ser a sua fala,
E outra passa a ser sua atitude;
Para a maledicência ele se cala,
E vai buscar no outro uma virtude,
E tem pra seus valores outra escala.

Querer ser mais que o outro não o ilude,
Chorar com o que chora ele aprende,
A sua alma volta a ter saúde
E alegre com o contente, compreende:
Que bom que de si a inveja se desgrude.

Gilberto Celeti

O Orgulho – Grandemente Detestado

 

O ORGULHO, GRANDEMENTE DETESTADO

Há um pecado grandemente detestado;
Em mim, dele, tenho pouca consciência;
Mas nos outros, o encontro destacado,
É o orgulho, no diabo, a essência.

O orgulho esta em mim tão arraigado,
Escondido, sim, mas com tal virulência,
Que detesto quando o outro é apreciado,
E não seja eu que tenha a proeminência.

Não me agrada ser por outro desprezado,
Vejam todos que tenho mais excelência;
E se devo ser com outro comparado
Sou mais sábio, tenho melhor aparência.

É um câncer que quer ver-me devorado,
Reconheço este mal e sua excrecência;
Deus supremo, ajoelhado e humilhado,
Que eu aprenda a andar na tua dependência.

E se eu for por algo um dia elogiado,
O meu ego não esteja em evidência;
E se eu for também ridicularizado
Faz do andar contigo ser minha experiência.

Gilberto Celeti

O ORGULHO, CRUEL DEFORMIDADE

O ORGULHO, CRUEL DEFORMIDADE

Reagir quando é por outro insultado,
Ficar triste quanto o outro é destacado,
Perceber que algo sempre o molesta:
Não ser alvo nem assunto numa festa.

Oh! A busca do lugar mais elevado,
O desejo de ser sempre elogiado,
Nunca ter de si uma avaliação correta:
De ser mesmo uma pessoa que não presta.

O orgulho é uma cruel deformidade
Venenoso com sua malignidade
Faz de si sempre o centro do universo;

Só em Cristo se encontra a humildade!
Quem O recebeu e O segue, na verdade,
Deve nEle estar completamente imerso.

Gilberto Celeti