NASCIMENTO DO SERVO

NASCIMENTO DO SERVO!

Olhe bem para o menino ali nascido
Na humilde manjedoura de Belém
Que por Deus foi nomeado, o escolhido,
Pra trazer à humanidade o sumo bem.

Rei dos reis, mas como servo é que é visto,
E bem poucos perceberam, admirados,
Que o filho de Maria era o Cristo,
Por profetas amplamente anunciado.

Era o servo ensinando mansamente,
Com sabedoria nunca igualada,
Cuja luz alcançaria toda gente
De Israel à ilha do mar mais isolada.

Era o servo sofredor a ser ferido,
Carregando no seu corpo a iniquidade
Do seu povo, para tê-lo assim, remido,
Desfrutando com Deus de doce amizade.

Ele foi o servo em tudo obediente
Dos discípulos lavou até os pés;
Quem o segue também serve fielmente,
Não se acha, pois sabe que nada é.

Foi o servo totalmente humilhado
Com escândalo foi morto numa cruz,
Ressurreto agora está tão exaltado,
Não há nome mais glorioso que Jesus!

Gilberto Celeti

“Ouvi-me, terras do mar, e vós povos de longe, escutai! O Senhor me chamou desde o meu nascimento, desde o ventre de minha mãe fez menção do meu nome; fez a minha boca como uma espada aguda, na sombra de sua mão me escondeu; fez-me como uma flecha polida, e me guardou na sua aljava, e me disse: Tu és o meu servo…” (Isaías 49:1-3)

Anúncios