O TEU REDENTOR

O TEU REDENTOR

manjedoura - cruz - túmulo

Jesus Cristo, Deus eterno,
Rei dos Reis, és meu Senhor!
És tão forte, és tão terno,
És amado, és Redentor!

Numa manjedoura pobre
Deste entrada aqui, na história,
E na cruz, teu sangue cobre
Minha culpa e minha escória.

E do túmulo aberto
Ressurgiste triunfante,
Sou por teu poder liberto,
E tu és meu Comandante.

E por isto com alegria
Sigo firme no caminho,
Teu Espírito me guia,
Nunca, nunca, estou sozinho.

És profeta, és sacerdote,
Tens o cetro em tua mão.
Que em minh’alma o louvor brote
Na mais santa adoração!

Gilberto Celeti

“POrque o teu Criador é o teu marido; o Senhor dos Exércitos é o seu nome, e o Santo de Israel é o teu Redentor; ele é chamado o Deus de toda a terra” (Isaías 54:5).

Mais poesias? Acesse: https://gilbertoceleti.wordpress.com/

Anúncios

NASCIMENTO DO SERVO

NASCIMENTO DO SERVO!

Olhe bem para o menino ali nascido
Na humilde manjedoura de Belém
Que por Deus foi nomeado, o escolhido,
Pra trazer à humanidade o sumo bem.

Rei dos reis, mas como servo é que é visto,
E bem poucos perceberam, admirados,
Que o filho de Maria era o Cristo,
Por profetas amplamente anunciado.

Era o servo ensinando mansamente,
Com sabedoria nunca igualada,
Cuja luz alcançaria toda gente
De Israel à ilha do mar mais isolada.

Era o servo sofredor a ser ferido,
Carregando no seu corpo a iniquidade
Do seu povo, para tê-lo assim, remido,
Desfrutando com Deus de doce amizade.

Ele foi o servo em tudo obediente
Dos discípulos lavou até os pés;
Quem o segue também serve fielmente,
Não se acha, pois sabe que nada é.

Foi o servo totalmente humilhado
Com escândalo foi morto numa cruz,
Ressurreto agora está tão exaltado,
Não há nome mais glorioso que Jesus!

Gilberto Celeti

“Ouvi-me, terras do mar, e vós povos de longe, escutai! O Senhor me chamou desde o meu nascimento, desde o ventre de minha mãe fez menção do meu nome; fez a minha boca como uma espada aguda, na sombra de sua mão me escondeu; fez-me como uma flecha polida, e me guardou na sua aljava, e me disse: Tu és o meu servo…” (Isaías 49:1-3)

NASCIMENTO DO REI

 NASCIMENTO DO REI!

O menino que na virgem foi gerado
É o filho que por Deus foi consagrado
Para ter sobre os seus ombros o governo
No Natal nasceu o Rei dos Reis, Eterno.

Anjos cantaram sua magnificência,
De reis nobres recebeu a reverência,
Por pastores foi o Cristo admirado,
Da mulher, o descendente, havia chegado.

Na justiça está firmado o seu reinado,
E na paz devidamente alicerçado,
Ele é o Maravilhoso Conselheiro,
Poderoso, Deus Eterno, Verdadeiro.

Lá na cruz foi como rei identificado,
Do seu povo, ali, o pecado foi tirado,
E depois da morte ressurgiu em glória,
Os que nEle creem começam nova história.

O seu reino é estável e universal
Do seu povo extirpou todo o mal,
Que da obediência a Cristo faz sua meta
E O adora, sacerdote, rei, profeta.

Gilberto Celeti

“Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, o governo está sobre os seus ombros; e o seu nome será: Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz; para que se aumente o seu governo, e venha paz sem fim sobre o trono de Davi e sobre o seu reino, para o estabelecer e o firmar mediante o juízo e a justiça, desde agora e para sempre. O zelo do Senhor dos Exércitos fará isto” (Isaías 9:6,7).