Sobre

DSC_0267

Gilberto Celeti nasceu em 18/3/1949 em São Paulo-SP, sendo o mais velho numa família de três irmãos. Seus pais, Alberto Celeti (1922-2003) e Maria de Almeida Celeti (1922-2010) eram membros da 3ª IPI, onde se casaram em 1948, sendo oficiante da cerimônia religiosa o Rev. Dr. Seth Ferraz. Gilberto foi batizado na 3ª IPI, também pelo Rev. Dr. Seth Ferraz, a 31/7/1949. Alberto Celeti foi presbítero e D. Maria foi professora de crianças na Escola Dominical, nessa igreja por muitos anos.

Embora tenha se afastado dos caminhos do Senhor por alguns anos, durante a adolescência, Gilberto reconciliou-se com Deus num momento de muita angústia, quando o Espírito Santo lhe trouxe à memória as histórias bíblicas e os cânticos aprendidos na infância. “A Palavra não volta vazia” – que preciosa verdade! A Palavra semeada em seu coração na tenra idade, enfim frutificou, trazendo-o de volta aos retos caminhos do Senhor, com o coração inclinado a servir ao Senhor, pregando o Evangelho da graça salvadora de Deus. Gilberto professou a fé em 1973 na 3ª IPI, perante os Revs. Álvaro Simões e Mário Ademar Fava. Em obediência ao chamado do Senhor da seara, foi preparar-se cursando Teologia e logo, no mesmo ano de 1973, surgiu a oportunidade de trabalhar na APEC – Aliança Pró Evangelização das Crianças, primeiro como funcionário no escritório e mais tarde como missionário de tempo integral. Enquanto se preparava no curso teológico, Gilberto cooperou com duas congregações da 3ª IPI, uma no bairro do Tatuapé, e outra no bairro de Jardim das Oliveiras, hoje organizada em igreja. Após concluir sua formação teológica, Gilberto foi licenciado na IPI de Água Rasa, tendo como tutor o Rev. Rubens Thomaz de Aquino, tendo servido por um ano como pastor auxiliar do Rev. Rubens naquela igreja.

 

Em 29/12/1979 em São Paulo-SP, na 3ª IPI, em cerimônia oficiada pelos Revs. Álvaro Simões e Mário Ademar Fava, Gilberto se casou com Eneida Rangel Celeti (solteira: Eneida Camargo Rangel). Eneida nasceu em 14/1/1957 em São Paulo-SP, filha de Alberto de Barros Rangel (1918-1957) e de Abiail Camargo Rangel (1928-2004). Os pais de Eneida eram membros da 3ª IPI, onde se casaram em 1955, sendo oficiantes os Revs. Dr. Seth Ferraz e Daily Resende França. Eneida foi batizada na 3ª IPI a 31/7/1957 pelo Rev. Dr. Seth Ferraz. Alberto Rangel, conhecido como “o Rangel”, foi diácono e presidente da UMPI por várias gestões. Abiail foi diaconisa.

O pai de Eneida faleceu antes do primeiro aniversário dela. A mãe, viúva, mudou-se. E Eneida passou a infância e adolescência (dos 6 aos 18 anos) na IPI do Cambuci, onde professou a fé em 1972, perante o pastor daquela igreja, Rev. Jair Ribeiro de Mello. Quando a mãe quis “voltar” para a 3ª IPI, em 1975, Eneida veio junto e reencontrou – na verdade, conheceu, pois não se lembrava – o Gilberto Celeti.

Os desígnios de Deus são insondáveis. Os pais de Gilberto e os pais de Eneida haviam sido companheiros na UMPI em sua juventude, na 3ª IPI. As circunstâncias levaram Gilberto e Eneida a crescerem afastados, para mais tarde se encontrarem e se casarem, na mesma igreja em que os pais de ambos haviam se casado.

Desde que se casaram, Eneida tem sido cooperadora do Gilberto no ministério. Já atuou ministrando a crianças e a professores de crianças. Atualmente, colabora como revisora no Departamente de Literatura.

O casal tem três filhos, todos nascidos em São Paulo-SP: Débora (1980), Queila (1982) e Filipe (1984). Têm três netos, também nascidos em São Paulo-SP: Lucas (18/12/2009, Mateus (09/12/2012) e Otto (25/03/2013).

A experiência pessoal de Gilberto reforça sua convicção de que uma criança, devidamente instruída, pode crer em Jesus como seu Salvador e ser regenerada. Por essa razão, Gilberto abraçou com dedicação o ministério de evangelização e discipulado de crianças desenvolvido pela APEC, impulsionado pelas inspiradoras palavras de Jesus: “Não é da vontade do Pai celestial que um só destes pequeninos se perca” (Mateus 18.14). Em vez de servir na proclamação da Palavra como pastor, em uma igreja, escolheu servir como missionário na APEC, uma missão interdenominacional.

Gilberto tem servido ao Senhor na APEC em várias funções, nas três áreas de atuação da missão: 1- Ministérios diretamente com crianças; 2- Treinamento de professores de crianças; 3- Publicação de material didático para uso nos diversos ministérios com crianças.

Em 1999, Gilberto foi nomeado Superintendente Nacional da APEC, e coordena o trabalho da APEC em todo o Brasil. Viaja bastante pelo país, visitando os campos, dando apoio aos missionários, fazendo palestras, simpósios; também visita igrejas e seminários, falando do desafio da evangelização das crianças, trasmitindo a visão do ministério e desafiando pessoas e se engajarem nessa obra.

Desde 1992, a APEC do Brasil tem realizado projetos missionários especiais de evangelização, no país e no exterior, coordenados pelo Gilberto. Os projetos tem duração variável de 15 dias a 3 meses. A estratégia é levar um grupo de irmãos para uma cidade ou região, a fim de realizarem evangelismo e discipulado de crianças, ministrarem treinamento a professores de crianças e levarem literatura que é doada às igrejas. No Brasil, já foram realizados projetos entre as populações ribeirinhas do Amazonas e Acre; em Cáceres-MT e região do Pantanal; nas praias de Santa Catarina e Rio Grande do Sul durante as férias; no vale do Rio Gurguéia, sul do Piauí; no Nordeste, alcançando cidades com populações indígenas, na Bahia, Pernambuco e Ceará.  No exterior, o primeiro projeto deste tipo foi realizado em 1992 em Portugal; seguiram-se projetos em vários países da América Latina: Nicarágua, Uruguai, Panamá, México e Equador; e por várias vezes, desde 1996, nos países africanos de fala portuguesa, tendo realizado em 2007 o Instituto de Liderança em Moçambique, e em 2009 o Instituto de Liderança em Guiné-Bissau. Como resultado desta iniciativa, já existe o ministério da APEC organizado, com obreiros nacionais, em Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique e São Tomé e Príncipe. Por ocasião da Copa do Mundo (2014) e das Olimpíadas (2016) no Brasil, foi responsável pela elaboração do Programa “Sou do Time de Deus”, e pela coordenação geral de Projetos nas duas ocasiões. Em 2014 o Projeto foi desenvolvido simultaneamente nas 5 (cinco) regiões do Brasil: Norte (com a liderança do Pr. Natanael Cardoso Negrão), Nordeste (com a liderança do Pr. Daliereson Batista Sarrazin), Centro Oeste (com a liderança do Pr. João Sérgio de Souza), Sudeste (com a liderança do Pr. José Altair de Freitas Barroso) e Sul (com a liderança do Pr. Cláudio Gebert Martinez). Em 2016, o chamado Mega Projeto “Paixão pelas crianças” sob sua liderança, atingiu dezenas de cidades do estado do Rio de Janeiro.

A segunda década do século XXI está sendo considerada, na APEC, a Década do Desafio. Entre os principais desafios para esta década estão os Projetos “Formando uma Geração de Timóteos” e “Crianças Indígenas do Brasil para Cristo”.

Gilberto Celeti têm escrito vários artigos, para revistas sobre a evangelização das crianças e já têm sido publicado, de sua autoria:
• Lição “Não ao Halloween”
• Livro “Os Ataques do Inimigo às Crianças” (2011). Ganhou o prêmio Areté em 2011
• Livro “A Verdade de Deus e a Nova Geração” (2012).
• Livro “A-E-I-O-U do Ministério Infantil” (2013).
• Livro “Excelência no Trato com as Crianças” (2014). Ganhou o prêmio Areté em 2014
• Livro “O Mistério do Natal” de poesias (2015).

 

Anúncios