ORAÇÃO NO CREPÚSCULO

Ao Senhor, ficam seus servos, bendizendo,
Pois conhecem o Seu amor que é tão infindo.
Alegria e gratidão estão sentindo
E as mãos ao Deus Eterno vão erguendo.

Logo estarão, de fato, adormecendo,
Mas suplicam a Deus que ao mundo esteja ungindo,
E que aos corações esteja Deus suprindo,
Luz, para estarem o Evangelho recebendo.

Que inclina o homem a estar compreendendo
Como a lei de Deus sempre está transgredindo,
Mas que o amor de Deus, em Cristo, o está remindo.
E, então, se arrepende em Jesus crendo!

No momento vespertino intercedendo,
Do Criador do céu e da terra vão fluindo
Bênçãos que seus servos vão usufruindo,
Pois em Cristo estão vencendo e estão vivendo.

Gilberto Celeti

Salmo 134

OS BEM-AVENTURADOS

O Sermão do Mont

Os que choram e lamentam
São, de fato, consolados.
São os bem-aventurados.

Os que não possuem nada
É que herderão a terra.
São os bem-aventurados.

Os famintos e sedentos
De justição serão fatos.
São os bem-aventurados.

Os misericordiosos
Terão a misericórdia.
São os bem-aventurados.

Os de limpo coração
São os que verão a Deus.
São os bem-aventurados.

São os pacificadores
Que haverão de ser chamados
De filhos de Deus, amados.
São os bem-aventurados.

Os que lutam por justiça
E por isso perseguidos
Ao reino dos céus pertencem.
São os bem-aventurados.

Os que são injuriados,
Perseguidos, difamados,
Por viverem como Cristo,
Por falarem como Cristo,
São os bem-aventurados.

Esses bem-aventurados,
Mesmo sendo maltratados,
Regozijam-se, exultam
Porque seguem na vereda
Dos profetas do passado
Duramente perseguidos,
E serão galardoados
Não na terra, mas nos céus.

São os bem-aventurados,
Sal da terra nomeados.
Não se tornam tediosos,
Sem sabor, desagradáveis,
Se ficarem sem sabor,
Ficam sendo imprestáveis.

São os bem-aventurados,
Luz do mundo nomeados.
Pra que brilhem e resplandeçam
Na escuridão da terra,
E com suas boas obras
Feitas diante dos homens
Faz que vejam e percebam
O Eterno Deus, o Pai,
E a Ele O glorifiquem.

Sal da terra, luz do mundo:
Os de espírito humilde…
Os que choram e lamentam…
Os que não possuem nada…
Os famintos e sedentos..
Os misericordiosos…
Os de limpo coração…
São os pacificadores…
Os que lutam por justiça…
Os que são injuriados
Por que seguem no caminho
Dos profetas perseguidos…
Por viverem como Cristo…
Por falarem como Cristo…
São os bem-aventurados.

O SUSTENTO MISSIONÁRIO E A PESTE

cultural-missao-comissao
Texto de Mônica Mesquita,
autora do livro “Missionários
e Recursos”, esposa do Rev. Marcos Agripino, executivo da APMT
Associação Presbiteriana
de Missões Transculturais:

O SUSTENTO MISSIONÁRIO
E A PESTE

Acho engraçados alguns rumores que tenho ouvido desde o início da Peste. Especulação pra cá, especulação pra lá e assim os dias longos e inauditos vão passando.

Na semana que a quarentena foi decretada no Brasil, eu estava numa cidade a mais de 400 Km da minha. Passei aqueles dias com um grupo de 50 missionários conversando sobre sustento missionário. Daí comecei a voltar pra casa, devidamente precavida e desinfetada, até que o lenga lenga começou: “O que será dos missionários?”, “As pessoas perderão seus empregos”, “Os dízimos vão despencar!”, “A primeira ‘despesa’ que as igrejas cortarão será a oferta missionária.”, “Sem cultos públicos, as igrejas deixarão de arrecadar!”, “Os missionários começarão a voltar do campo.”, “O dólar e o euro estão na estratosfera!”

Bom, essas são algumas das falas que têm circulado, além de outras. Tudo bem que no mundão lá fora, em meio ao cata clisma midiático, coisas assombrosas têm sido faladas, repetidas, aumentadas, modificadas, inventadas e por aí vai. Só que no nosso caso, gente que tem Dono, quem deve formar nossa opinião não é a Rede de Televisão X, nem o político AB ou C, nem muito menos a lixaiada vomitada pela Internet. Nós não somos aqueles que seguem laconicamente na direção da luz de uma tela; não somos aqueles cujas vidas serão afetadas porque uma não tão suprema corte, um presidente, um ministro, um senador ou um deputado decidem reger suas orquestras de autômatos sem vida própria; tampouco somos do tipo que se aproveita da Peste pra ganhar dinheiro escuso. Nós somos súditos. Isso mesmo: SÚDITOS. E súditos têm um monarca. Eles seguem tudo que seu rei ordena e não ousam questionar seus editos. Então vamos parar de blá, blá, blá.

Presidentes vão e vêm. Na minha idade, eu sobrevivi a vários deles: João Goulart, Castelo Branco, Costa e Silva, Médici, Geisel, Figueiredo, Sarney, Collor, Itamar, Fernando Henrique, Lula, Dilma, Temer, estou sobrevivendo ao atual e, se Deus não me levar antes, ainda devo ver outros na sequência. Também sobrevivi, aqui no Brasil, a taxas de inflação anuais inimagináveis! Durante mais de 3 anos da minha vida, a inflação anual foi de DOIS DÍGITOS! E tudo esteve sob o cetro do nosso Rei. Então vamos parar de blá, blá, blá.

Se você está na minha faixa etária, e está lendo isto aqui, sabe que continuamos vivinhos da silva e seguindo nossos caminhos, mesmo depois de muitas guerras que assolaram o mundo… a Guerra dos 6 dias, a do Camboja, a de Angola, do Vietnã, do Afeganistão, Irã-Iraque, do Líbano, do Golfo, da Chechênia, do Congo, do Kosovo, da Etiópia, o 11 de Setembro, a Invasão do Iraque, a guerra da Geórgia, da Líbia, da Síria, do Iêmen, do Sudão e alguns outros conflitos armados pelo mundo afora. Essas guerras passaram e nosso Rei continua sobre o trono. Então vamos parar de blá, blá, blá.

Aquele que mandou alagar o mundo em 40 dias de muita chuva, que fez uma mulher dar à luz aos 90 anos, que dividiu o mar ao meio, que mandou comida cair do céu, que fez o sol parar, que consumiu com fogo a lã molhada, que fez uma jumenta falar que nem gente, e que derrubou um gigante de quase três metros com uma reles pedrinha, é o mesmíssimo HOJE. Ele é o Rei sobre toda a Peste, e é o Rei que está com seus súditos durante a Peste.

Então, meu povo, chega de blá, blá, blá. ‘Bora entrar na sala do Rei, nos ajoelhar diante d’Ele, colocar nossa súplica em Suas mãos e descansar o coração. SE FOI ELE que mandou os missionários aonde quer que seja, é Ele que irá sustenta-los. Se for pra trazê-los de volta, é Ele que os trará. Se for pra tirar água da pedra, isso Ele fará. Como bons súditos, vamos ficar atentos, diligentes e obedecendo aos proclames do nosso Rei.

FALTA DE INVESTIMENTO NA CRIANÇA

crianças 1

Continua hoje a falta de visão, de interesse e de investimento na formação da nova geração.
Será que chegará o dia quando os homens olharão para as crianças com um olhar sábio? E perceberão que investir nas crianças, para que tenham um desenvolvimento saudável em todos os níveis é a coisa mais importante a ser feita?

É PRECISO INVESTIR NAS CRIANÇAS

Este questionamento surgiu após a leitura de uma matéria escrita por F. Zakaria no “The Washington Post” falando sobre o fim do sonho americano e que foi reproduzida no jornal “O Estado de São Paulo”, no dia 18 de agosto de 2013.
O autor, analisando a situação difícil do seu país, no caso os EUA, afirmava que para recuperarem seu poder e prestígio, seria necessário investir nas crianças, e destacava, entre outras coisas:
• As cidades são melhores onde as famílias têm vínculos consistentes, grupos de apoio cívico e voltados para serviços comunitários.
• Os EUA, de forma geral, têm um desempenho medíocre porque o país tem muito mais famílias desfeitas do que as outras nações.
• Constatou-se também que o país gasta bem menos em educação das crianças e no bem-estar dos mais pobres, especialmente das crianças, do que qualquer outra nação rica.
• Ficou claro também que países que investem em saúde e educação infantil têm uma ascensão social mais vigorosa.

OS DESAFIOS DA PRIMEIRA INFÂNCIA

Em 2017, as revistas Exame e Veja, organizaram a vinda do Dr. James Heckman, prêmio Nobel de Economia no ano 2000, que tendo criado métodos científicos para avaliar a eficácia de programas sociais, dedicou-se a estudar a primeira infância — para ele, um divisor de águas.
A sua palestra: “Os desafios da primeira infância – Por que investir em crianças de zero a 6 anos vai mudar o Brasil” mostrou a imperiosa necessidade de estimular as crianças nos primeiros anos de vida para que a pessoa tenha sucesso na vida adulta.
Para ele nesta idade o cérebro se desenvolve em velocidade frenética e tem um enorme poder de absorção, como uma esponja maleável. As primeiras impressões e experiências na vida preparam o terreno sobre o qual o conhecimento e as emoções vão se desenvolver mais tarde. Se essa base for frágil, as chances de sucesso cairão; se ela for sólida, vão disparar na mesma proporção. Por isso, ele defende os estímulos desde muito cedo. Para ele, investir em crianças de zero a 6 anos é que pode mudar uma nação.

CRIANÇA – TEMA DE ESTADISTA

Há alguns anos atrás, Pedro Malan, que foi ministro no governo do presidente Fernando Henrique Cardoso, escreveu que criança é tema de estadista.
O grande problema é que não se encontra em parte alguma, um estadista. Será que um dia surgirá um estadista no Brasil? Todos ficam tão envolvidos nas urgências do dia a dia, que lhe garantam ganhar nas próximas eleições, que não percebem o tempo passando rapidamente e as crianças sendo esquecidas.
É assim com os pais, tão envolvidos em suas atividades e com suas preocupações para a manutenção de suas famílias e seus status, que não lhes sobra tempo para acompanhar o desenvolvimento dos filhos, e muito menos para conversar, brincar, ler um livro, ter um tempo devocional com seus filhos.
É assim também com diáconos, presbíteros e pastores, líderes das igrejas locais que percebem a criança como um grande problema. Como fazê-las se comportar bem na igreja sem perturbarem as reuniões e as conversas dos adultos com suas correrias e gritarias? Como ter uma boa equipe de monitores que possam cuidar das crianças de maneira que os seus pais possam, com tranquilidade, assistir e participar das reuniões?
É assim com os responsáveis pelos serviços públicos, que no máximo, se empenham em ter espaços onde possam acomodar as crianças de maneira que seus pais possam ir para os seus empregos sabendo que as crianças estão dentro de uma creche ou de uma escola, e assim os prédios vão sendo construídos.
E a real formação da criança? Como que fica? Lamentavelmente, a mídia tem exercido um papel cada vez mais influenciador, ditando normas de comportamento e modos de sentir e de pensar. Há também muitos que se utilizam dos currículos nas escolas, dos brinquedos e jogos infantis, para introduzirem seus conceitos de ordem política, religiosa e moral. A questão da ideologia de gênero, por exemplo, é uma aberração total.
Onde, efetivamente, se vê crianças aprendendo a pensar?

É PRECISO INVESTIR NAS CRIANÇAS!

Este imperativo deveria ser levado a sério pelos governantes das nações, pelos líderes das igrejas e pelos pais.
Que o papel de influenciador de nova geração seja exercido com maior intensidade por homens e mulheres que amam ao Senhor e a Sua palavra e que mudem radicalmente a maneira de lidar com as crianças em casa e na igreja.
Que as crianças sejam colocadas no centro das atenções e que a prioridade seja investir para que, desde a tenra infância, as crianças conheçam as Sagradas Escrituras, sejam evangelizadas e discipuladas e se tornem sábias “para a salvação pela fé em Cristo Jesus.” (2 Timóteo 3:15).
Aí, sim, haverá bom futuro!

Gilberto Celeti
Servindo a Deus na APEC desde 1973

 

Livro: “A.E.I.O.U. NO MINISTÉRIO COM CRIANÇAS”

Panorama do livro apresentado por Ester Mendes

DOIS TIPOS DE PROFETAS

Elias e os falsos profetas

Israel, quando em dificuldades, sempre recebia mensagens de dois tipos de profetas.

Havia os profetas cujas mensagens lhes eram dadas pelo Senhor, contudo além deles havia também outros profetas, aos quais os verdadeiros profetas constantemente se referem como falsos profetas.

Esses falsos profetas sempre estavam presentes, e invariavelmente eram mais numerosos.

O primeiro grande profeta, de muitas maneiras, foi Elias. A famosa história de Elias no Monte Carmelo é típica do papel do profeta. Ali estava este único homem, Elias, e, se opondo a ele, 850 falsos profetas!

Este é o tipo de proporção sempre encontrada – um homem levantado por Deus e pela verdade; e 850 do outro lado.

Muitos dos profetas eram sujeitos a tristes perseguições; fazia-se de tudo para silenciá-los. Mesmo assim, eles continuavam sendo a minoria e às vezes inteiramente sozinhos.

Anunciavam a mensagem de Deus ao povo apesar de tudo que o povo dizia contra eles. Sempre foi assim ao longo da história da raça humana, e assim é até ao dia de hoje.

(Palavras de D. Martyn Lloyd-Jones, do livro “O Caminho de Deus Não o Nosso”,
publicado pela PES – Publicações Evangélicas Selecionadas)

NO CONFLITO COM AS FORÇAS DO MAL A ORAÇÃO É ESSENCIAL!

A ORAÇÃO E A ARMADURA DE DEUS

ESTATÍSTICAS QUE FAZEM PENSAR

Estatísticas demonstram que 85% dos atuais cristãos professam ter recebido a Cristo como seu Salvador pessoal antes dos 15 anos de idade. Isto significa que após os 15 anos, será muito mais difícil para uma pessoa ser conduzida a Cristo. Isso demonstra a importância e a urgência da obra missionária entre as crianças. Sim, a evangelização das crianças exige dedicação, investimento, urgência, visão e incessante oração.

A realidade do ataque do inimigo contra as crianças é notória em todas as sociedades. Há uma ação cada vez mais violenta para afastar a nova geração para longe de Deus. É impressionante a falta de investimento no ensino da verdade de Deus para a nova geração. As crianças têm sido abertamente negligenciadas.

A GUERRA CONTRA O MAL

Em Efésios 6:10-20, há um ensino muito claro sobre o fato que, ao receber a Jesus Cristo como Seu Senhor e Salvador, em vez de acabarem os problemas e as dificuldades, acontece exatamente o contrário e o cristão entra diretamente no conflito e combate contra o diabo e “os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes”.

Esse texto que o apóstolo Paulo escreveu aos efésios, e aos cristãos em toda parte, tem o propósito de instruir quanto a maneira de enfrentar esta guerra e alcançar a devida vitória. Há uma armadura, a ARMADURA DE DEUS, que precisa ser tomada completamente, e que inclui seis peças bem distintas:

1. A verdade – como um cinturão
2. A justiça – como uma couraça
3. O evangelho da paz – como o calçado
4. A fé – como um escudo
5. A salvação – como um capacete
6. A palavra de Deus – como uma espada.

No versículo 18, completando o parágrafo, o apóstolo Paulo recomenda: “com toda oração e súplica, orando em todo tempo no Espírito…” A oração não é uma peça da armadura. É algo que precisa acompanhar cada peça desta ARMADURA DE DEUS e que demonstra que o cristão está em íntima comunhão com o Senhor. A não ser que haja esta comunhão com o Senhor, é impossível experimentar a força, o poder e a vitória.

NESTE CONFLITO COM AS FORÇAS DO MAL, A ORAÇÃO É ESSENCIAL.

A verdade, a justiça, o evangelho da paz, a fé, a salvação e a palavra de Deus, estas seis peças da Armadura, apontam para uma vida alicerçada na doutrina bíblica correta e isto é alicerce sólido para a vida cristã. Há necessidade cada vez maior de se firmar na doutrina; no entanto, se não houver uma atitude prática de viver em comunhão com o Senhor, demonstrada por uma vida de oração (toda oração e súplica), “orando em todo tempo no Espírito e para isto vigiando com toda perseverança e súplica por todos os santos”, esta Armadura de nada valerá.

É possível uma pessoa conhecer bem toda a teologia e não acreditar na oração? E não praticar a oração? E não perceber a necessidade de “orar em todo tempo no Espírito”? Infelizmente, sim!

A oração é a prova de uma atitude de dependência total do Senhor e do desejo de manter comunhão íntima com Ele. Uma das marcas deixadas pelo Senhor Jesus e que é um real exemplo para que andemos nos seus passos (1 Pedro 2:21), é a sua atitude contínua de oração. Os discípulos impressionaram-se com o fato de Jesus passar a noite inteira em oração, ou de levantar-se de madrugada para orar, ou de orar em todo o tempo. “De uma feita, estava Jesus orando em certo lugar; quando terminou, um de seus discípulos lhe pediu: Senhor, ensina-nos a orar” (Lucas 11:1).

QUAL O LUGAR DA ORAÇÃO EM NOSSA VIDA?

Qual o lugar da oração em nossa vida? Que papel a oração desempenha em nossas vidas e até que ponto ela é essencial para nós? Quanto tempo passamos em oração? Dedicamo-nos à oração com prazer? Oramos a sós? Oramos em público? Oramos com palavras? Oramos no pensamento, no coração? Adoramos? Louvamos? Intercedemos? Agradecemos? Suplicamos? Oramos de pé? De joelhos? Em qualquer posição? Oramos no Espírito?

Não se trata de fazer uma oração com palavras bonitas e certas e nem de adotar uma certa postura e tom, mas de deixar que o Espírito Santo conduza a oração, criando-a dentro de nós e nos capacitando para elevá-la a Deus, “porque não sabemos orar como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós sobremaneira, com gemidos inexprimíveis. E aquele que sonda os corações sabe qual é a mente do Espírito, porque segundo a vontade de Deus é que ele intercede pelos santos” (Romanos 8:26,27).

O Espírito Santo dá vida à oração. Ele nos conduz a orar sem cessar, em todo tempo, com toda oração e súplica e vigiando, sem negligência, com todo empenho. Ele nos ensina a ser perseverantes, tendo em mente o propósito do Senhor Jesus ao contar a história do juiz iníquo: “Disse-lhes Jesus uma parábola sobre o dever de orar sempre e nunca esmorecer” (Lucas 18:1).

Sim, “a nossa luta não é contra a carne e o sangue e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes”. É urgente cumprir a recomendação da Palavra de Deus: “Quanto ao mais, sede fortalecidos no Senhor e na força do seu poder”. Só há uma forma de fazer isto: “Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para poderdes ficar firmes contra as ciladas do diabo” e “Com toda oração e súplica, orando em todo tempo no Espírito e para isto vigiando com toda perseverança e súplica por todos os santos”.

A ORAÇÃO PELAS CRIANÇAS E PELO MINISTÉRIO DA APEC

Vamos orar pelas crianças e pelo ministério da APEC que, ao completar 80 anos de existência em 2017, chegou a todas as nações, exceto a Coréia do Norte, que tem sido alvo constante das orações dos obreiros da APEC em todo o mundo, para que as crianças desta nação também conheçam o Senhor e Salvador Jesus Cristo!

A APEC no Brasil completará também 80 anos em 2021, e está com o desafio de comemorar os 80 anos tendo 80 polos abertos em todos os estados do Brasil. A APEC está empenhada na realização do Projeto “Crianças Indígenas para Cristo”, com o alvo agora de formar líderes indígenas para serem missionários entre as crianças de suas etnias. Atualmente já há obreiros indígenas em 4 etnias O alvo é chegar a 7 etnias ao final de 2021.

Como isso poderá acontecer? Como ter o número de trabalhadores aumentado? Seguindo a ordem clara do Senhor Jesus Cristo registrada em Lucas 10:2: “E lhes fez a seguinte advertência: A seara é grande, mas os trabalhadores são poucos. Rogai, ao Senhor da Seara que mande trabalhadores para a sua seara”.

Em todo o mundo este tem sido o grande desafio de oração na APEC. Muitos estão colocando o horário 10:02, no despertador de seus celulares, para que ao tocar o alarme, dediquem alguns instantes para rogar ao Senhor que envie os trabalhadores.

Quer se juntar a este grupo de intercessores? Seja muito bem-vindo! Se desejar também ter outros temas e assuntos para oração, pode acessar o link: https://www.apec.com.br/site/intercessao/

Ore e envolva outros intercessores. No conflito com as forças do mal, a oração é essencial. Vamos, em ação e em oração, arrebatar as crianças das garras do inimigo.

Gilberto Celeti
Servindo a Deus na APEC desde 1973

Gilberto Celeti

Quando eu crescer, quero ser criança!

Ale Rocha

Pr. Alê Rocha

Gospel1 WE BORN TO BROADCAST HIM

Just another WordPress.com weblog

My Blog Divonsir Borges

Pesquisar,analisar,arquivar,divulgar.

biblioterapiaa.wordpress.com/

Palavra originada do grego. Biblion: todo tipo de material bibliográfico ou de leitura Therapein: tratamento, cura ou restabelecimento

Pregando a Verdade

Reflexões cristãs para o nosso dia a dia

Florencio1's Blog

Just another WordPress.com site

martinhochimene

A topnotch WordPress.com site

martinchimene

Martinho Chimene

APEC / Brasil

Proclamar a pessoa extraordinária de Jesus Cristo a todas as crianças, em todos os contextos e culturas é a prioridade máxima!

Pr Eber Jamil's Weblog

O CANTINHO DAS MINHAS IDEIAS...

TEOPOESIA

Quando eu crescer, quero ser criança!

%d blogueiros gostam disto: