Salmo 119 – verso 31

Aos teus testemunhos me apego; não permitas, Senhor, que eu seja envergonhado” (Salmo 119:31).

No início deste grupo de 8 versículos (verso 25), todos iniciados com a letra D (Dalete) que tem o significado no hebraico de pobreza, o salmista fala de ter sua alma apegada ao pó, expressando a sua fragilidade, e também sua situação de estar colado, apegado ao sofrimento, à solidão, inclusive suplicando para ser vivificado pela Palavra do Senhor.

A palavra apegar tem este sentido de estar mesmo agarrado, ajuntado, afeiçoado a alguma coisa. Neste verso 31 vemos que sua oração feita no verso 25 foi respondida. Ele usa também a palavra apegar, só que agora não ligada ao pó, mas aos testemunhos do Senhor, à Palavra de Deus. Que diferença extraordinária!

Por que apegar-se à Palavra de Deus? Ora, se há algo que é indestrutível, que não pode ser abalado, que permanecerá mesmo que o céu e a terra desapareçam é exatamente a Palavra do Senhor. Jesus Cristo declarou: “Passará o céu e a terra, porém as minhas palavras não passarão” (Mateus 24:35). Dá para perceber a diferença entre estar apegado ao pó e estar apegado aos testemunhos do Senhor?

Jesus também alertou: “De que adianta uma pessoa ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma? Que daria uma pessoa em troca de sua alma? Pois quem, nesta geração adúltera e pecadora, se envergonhar de mim e das minhas palavras, também o Filho do Homem se envergonhará dele, quando vier na glória do seu Pai com os santos anjos” (Marcos 8:36-38). Quantos correm este risco de dimensões eternas, preocupados e apegados àquilo que este mundo adultero e pecador pode oferecer, mas sem ter nenhum apreço para com Deus e Sua vontade revelada em Sua palavra.

Quando o salmista ora: “não permitas, Senhor, que eu seja envergonhado”, ele deseja que Deus o impeça de praticar algo que venha desonrar o nome do Senhor. Eis uma oração que devemos também fazer, como o salmista.

O fato é que “nós também, no passado, éramos insensatos, desobedientes, desgarrados, escravos de todo tipo de paixões e prazeres, vivendo em maldade e inveja, sendo odiados e odiando-nos uns aos outros” (Tito 3:3). Estávamos apegados ao pó, na miséria do pecado, “mas quando se manifestou a bondade de Deus, nosso Salvador, e o seu amor por todos, ele nos salvou, não por obras de justiça praticadas por nós, mas segundo a sua misericórdia. Ele nos salvou mediante o lavar regenerador e renovador do Espírito Santo, que ele derramou sobre nós ricamente, por meio de Jesus Cristo, nosso Salvador, a fim de que, justificados por graça, nos tornemos seus herdeiros, segundo a esperança da vida eterna. Fiel é esta palavra, e quero que você fale ousadamente a respeito dessas coisas, para que os que creem em Deus se empenhem na prática de boas obras” (Tito 3:4-8). Agora estamos apegados à verdade da Palavra de Deus, e não podemos, de maneira alguma, ficar envergonhados de testemunhar da nossa fé, pelo contrário, somos desafiados a falar ousadamente dessas realidades eternas, e também a praticarmos o que agrada a Deus. Senhor, não permitas que eu fale, pense, faça ou sinta algo que não esteja de acordo com a Tua Palavra.

Somos fracos e propensos a tropeçar. Há uma luta entre a carne e o Espírito. Jesus mesmo deixou esta exortação: “Vigiem e orem, para que não caiam em tentação; o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca” (Mateus 26:41). E temos esta preciosa instrução da parte de Deus por meio do apóstolo Paulo: “Por isso, aquele que pensa estar em pé veja que não caia. Não sobreveio a vocês nenhuma tentação que não fosse humana; mas Deus é fiel e não permitirá que vocês sejam tentados além do que podem suportar; pelo contrário, juntamente com a tentação proverá livramento, para que vocês a possam suportar” (1 Coríntios 10:12,13). Que não sejamos envergonhados, pelo contrário, sejamos sempre orientados pelo Senhor para que, comendo, bebendo, ou fazendo qualquer outra coisa, façamos tudo para a glória de Deus, como lemos em 1 Coríntios 10:31, cuja continuação diz: “Não se tornem motivo de tropeço nem para judeus, nem para gentios, nem para a igreja de Deus” (1 Coríntios 10:32).

E finalmente, atendamos a admoestação deixada no último capítulo, do último livro, escrito por Paulo, já no final de sua caminhada: “Diante de Deus e de Cristo Jesus, que há de julgar vivos e mortos, pela sua manifestação e pelo seu Reino, peço a você com insistência que pregue a palavra, insista, quer seja oportuno, quer não, corrija, repreenda, exorte com toda a paciência e doutrina. Pois virá o tempo em que não suportarão a sã doutrina; pelo contrário, se rodearão de mestres segundo as suas próprias cobiças, como que sentindo coceira nos ouvidos. Eles se recusarão a dar ouvidos à verdade, entregando-se às fábulas. Mas você seja sóbrio em todas as coisas, suporte as aflições, faça o trabalho de um evangelista, cumpra plenamente o seu ministério” (2 Timóteo 4:1-5). Que nunca sejamos culpados de nos envergonhar de pregar o evangelho de Deus e todo o desígnio de Deus. Sim, “aos teus testemunhos me apego; não permitas, Senhor, que eu seja envergonhado” (Salmos 119:31).

QUAL SERÁ O MODO DE VIVER DO MENINO? DA MENINA?

Você conhece Manoá?

Manoá era o nome do pai de Sansão, um dos juízes de Israel.

Sansão tem o seu nome citado na preciosa galeria dos heróis da fé de Hebreus: “E que mais direi? Certamente, me faltará o tempo necessário para referir o que há a respeito de Gideão, de Baraque, de Sansão, de Jefté, de Davi, de Samuel e dos profetas, os quais por meio da fé, subjugaram reinos, praticaram a justiça, obtiveram promessas…” (Hebreus 11:32,33).

Quando o anjo do Senhor traz a notícia que a sua mulher, que era estéril, haveria de dar a luz a um filho, ouve de Manoá uma pergunta muita significativa: “Qual será o modo de viver do menino?” (Juízes 13:12).

Vivemos um tempo em que grande parte da atividade de uma empresa é terceirizada. Esta tendência de “terceirização” alcançou também o âmbito da família.

Poucos são os pais que assumem o compromisso na educação de seus filhos e que estão preocupados em dar uma sólida formação moral aos seus filhos para que estes venham a ter um modo de viver digno e honrado.

Em muito menor número são os pais que, obedientes à Palavra de Deus, transmitem aos seus filhos os fatos a respeito da Pessoa de Deus, do Seu poder e das maravilhas que Deus faz, conforme estabelecido no Salmo 78:4. Pais que se preocupam com uma sólida formação bíblica e espiritual de seus filhos.

Onde estão os PAIS, me refiro aos homens, que demonstram sua preocupação com os filhos, perguntando como Manoá ao Senhor: “Qual será o modo de viver do menino?” Claro que as mamães também devem ter a mesma preocupação, mas como é precioso encontrar um pai como Manoá.

Cada pai, cada mãe, deveria meditar cuidadosamente na Palavra de Deus conforme o texto do Salmo 78, versos 1 a 8, e fazer, em seguida, a si mesmo, a seguinte pergunta: “Será que o meu filho, ou filha, vai colocar a sua confiança em Deus?; ou: “Será que o meu filho, ou filha, será rebelde, de coração inconstante e com um espírito não fiel para com Deus?”

Há necessidade de que a mente e o coração dos pais sejam despertados e de que seus olhos sejam abertos, para importância e urgência de conduzirem seus filhos no CAMINHO em que devem andar. “Ensina a criança no caminho em que deve andar, e, ainda quando for velho, não se desviará dele” (Provérbios 22.6).

Há necessidade de que a mente e o coração dos pais sejam despertados e de que seus olhos sejam abertos, para que percebam os perigos que seus filhos correm se continuarem a receber as influências tão daninhas do meio que os cerca, tais como:

1 — A música. Você já analisou as letras e as melodias que fazem o maior sucesso e que penetram nas mentes das crianças e adolescentes, induzindo-os à imoralidade, à lascívia, aos vícios, à rebelião, ao suicídio, ao satanismo?

2 — A mídia televisiva. Você já verificou como os programas de maior audiência estimulam principalmente as crianças e adolescentes, à violência, às relações sexuais ilícitas, ao uso de cigarros e bebidas, à crença nas doutrinas espíritas e no ocultismo? As pesquisas indicam que um pouco mais de 85% das crianças, no Brasil, por exemplo, assistem televisão até as 23h30m diariamente.

3 – A internet. Você já constatou com que facilidade as crianças e adolescentes acessam sites de mau conteúdo, que aliciam para a pedofilia, para a imoralidade sexual (homossexualismo e lesbianismo), para o satanismo explícito, para os jogos violentos. E como participam de comunidades onde os temas e comentários são contrários aos princípios da Palavra de Deus? As pesquisas indicam que cerca de 90% das crianças, no Brasil, acessam a internet sem qualquer restrição ou acompanhamento de seus pais.

4 – A literatura. Você já percebeu que os livros dedicados ao público infanto juvenil, que ficam mais tempo entre os mais vendidos têm toques de esoterismo, de ateísmo, de rebelião para com os princípios da Palavra de Deus?

5 – O ensino. Você já verificou a inserção do humanismo, do hedonismo, do relativismo filosófico, de uma atitude anti-Deus nas mais variadas matérias do currículo escolar?

Quanto de tempo será necessário para que os pais
• Conversem com os seus filhos ajudando-os a filtrar a música, a televisão, a internet, a literatura e o ensino, de uma forma crítica, discernindo o que está por trás das aparências?
• Demonstrem aos filhos a devida atenção, amor e companheirismo e assim exerçam uma boa influência?
• Busquem pela oração e meditação na Palavra de Deus, a sabedoria que vem do Senhor para criar os filhos de acordo com as Escrituras?
• Orem pelos filhos e com eles, para que a bênção do Senhor esteja sobre suas vidas?
• Cultuem a Deus junto com os filhos, levando-os ao conhecimento da presença e do temor do Senhor?
• Tenham o prazer e o privilégio de conduzir seus filhos à salvação em Cristo e a crescer na graça e no conhecimento de Jesus?

Diante da pergunta desafiadora e solene: “Qual será o modo de viver do menino?” os pais precisam com urgência levantarem-se para dedicar, consagrar e entregar os seus filhos para que sejam servos fiéis ao Senhor!

Conta-se que um pai disse ao seu filho: “Meu filho eu não espero que você seja um milionário, mas sim um missionário!”

Com que facilidade os pais se gastam e se desgastam para que seus filhos tenham de tudo o melhor, nas áreas da alimentação, do vestuário, da saúde, da instrução, do lazer etc. E no desenvolvimento espiritual da criança? Quão pouco se investe, lamentavelmente!

Hoje são bem raros os pais, que decidem dedicar seus filhos para o serviço do Senhor. E há alguns que o fazem quando os filhos ainda estão no ventre da mamãe. Que preciosidade!

A visão que a seara é grande e que são poucos os trabalhadores, deveria motivar os pais a desejarem e a dedicarem seus filhos para a obra missionária. É muito triste observar que não é isso o que acontece.

“Qual será o modo de viver do menino?” É urgente uma mudança de mentalidade para que nós e nossos filhos obedeçamos a ordem do Supremo Comandante do Universo, o Senhor Jesus Cristo: “Ide e fazei discípulos de todas as nações…” (Mateus 28.18), e assim o evangelho alcance cada povo, cada tribo, cada língua.,

É URGENTE a conscientização de que as crianças que hoje ganhamos para Cristo sejam, desde agora, dedicadas e preparadas para que venham a ter os seus nomes na galeria dos heróis da fé, pela conquista que farão de reinos e nações para o Senhor, mediante a pregação do evangelho.

PAIS, façam agora a pergunta de Manoá: “Qual será o modo de viver do meu filho, da minha filha?”

PAIS, dediquem agora mesmo os seus filhos para que tenham um modo de viver como servos do Senhor e não coloquem nenhum impedimento para que Deus os conduza como missionários que irão até os confins da terra para completar a tarefa que está faltando.

PAIS, mudem agora a sua agenda para que haja nela tempo de qualidade para convívio com os seus filhos, em todas as áreas, mas prioritariamente na educação de seus filhos no CAMINHO (que é Jesus Cristo) em que devem andar.

PAIS, nunca se esqueçam disto: os dias são maus e perigosos, sendo muito mais fácil seguir num caminho largo que conduz à perdição do que ficar firme no Senhor Jesus, em quem estão escondidos todos os tesouros da sabedoria. Jesus é a Verdade e a fonte da Vida.

Diante da pergunta: “Qual será o modo de viver do meu filho, da minha filha”? que possamos ouvir nitidamente a resposta, de cada pai e de cada mãe: SERÁ CRISTO!

Gilberto Celeti

Salmo 119 – verso 30

“Escolhi o caminho da fidelidade e decidi seguir os teus juízos” (Salmo 119:30).

A fidelidade é um dos atributos de Deus, que fazem um imenso contraste com a infidelidade humana, que demonstra sua insensatez, não retribuindo em nada ao que recebe do Senhor: “Porque proclamarei o nome do Senhor. Louvem a grandeza do nosso Deus. Eis a Rocha! Suas obras são perfeitas, porque todos os seus caminhos são juízo. Deus é fidelidade, e nele não há injustiça; é justo e reto. Procederam corruptamente contra ele, já não são seus filhos, e sim suas manchas; é geração perversa e deformada. É assim que vocês retribuem ao Senhor, povo tolo e insensato” (Deuteronômio 32:3-6).

Paulo escrevendo a Timóteo também mostra esta grandeza da fidelidade do Senhor: “Fiel é esta palavra: Se já morremos com ele, também viveremos com ele; se perseveramos, também com ele reinaremos; se o negamos, ele, por sua vez, nos negará; se somos infiéis, ele permanece fiel, pois de maneira nenhuma pode negar a si mesmo” (2 Timóteo 2:11-13)

O salmista tendo suplicado ao Senhor que o afastasse do caminho da falsidade escolheu e adotou o caminho da fidelidade que o levará honrar seus compromissos, a perseverar com lealdade mesmo nas horas mais difíceis, sendo perseverante, leal, constante, honesto sincero e autêntico em todas as esferas de sua vida.

Consciente que a época atual é marcada pela infidelidade em todos os níveis e que isso desagrada a Deus, desejo também, a semelhança do salmista, fazer a mesma escolha pelo caminho da fidelidade: na comunhão com Deus, na vida conjugal e familiar, no convívio com os irmãos em Cristo, nos relacionamentos sociais, nos negócios, no trabalho, nas provações, enfim, em todas as dimensões da vida. Consciente também que dependo da ajuda do Senhor e confiando no que a Sua Palavra afirma: “Deus é quem efetua em vocês tanto o querer como o realizar, segundo a sua boa vontade” (Filipenses 2:13). Sim, é só ELE quem pode agir em mim, pelo Seu Espírito, para desejar e para realizar o que O agrada.

Tito, a quem Paulo escreve uma carta orientando-o como deveria servir ao Senhor em Creta, foi desafiado a se tornar um exemplo para todos, em várias áreas: “No ensino, mostre integridade, reverência, linguagem sadia e irrepreensível, para que o adversário seja envergonhado, não tendo nada de mau a dizer a nosso respeito. Quanto aos servos, que sejam, em tudo, obedientes ao seu senhor, dando-lhe motivo de satisfação. Que não sejam respondões, nem furtem, mas que deem prova de toda a fidelidade, a fim de que, em todas as coisas, manifestem a beleza da doutrina de Deus, nosso Salvador” (Tito 2:7-10). Que precioso verificar que dar prova de toda fidelidade, em todas as coisas, manifesta a beleza da doutrina de Deus. Que precioso escolher o caminho da fidelidade, tendo em mente que existindo em nós esta virtude, ela é uma prova da ação do Espírito Santo em nossa vida, como lemos em Gálatas 5:22,23: “Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio”.

Outra atitude preciosa do salmista foi sua decisão de seguir os juízos do Senhor, uma referência à Palavra de Deus, que são identificados no Salmo 19:9 como: “verdadeiros e todos igualmente, justos”.

Esta decisão do salmista denota a sua firmeza de “levar a sério” a Palavra de Deus, de estar determinado a fazer dela seu Manual de Instruções. É somente procedendo desta forma, dando prioridade à leitura e à meditação na Escritura que “é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça”, que servo de Deus será “perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra” (2 Timóteo 3:16,17).

Como servos de Deus, precisamos sempre estar atentos às exigências de Deus e ter a disposição para servi-lo com toda dedicação. “Quem é, pois, o servo fiel e prudente, a quem o senhor deixou encarregado dos demais servos, para lhes dar o sustento a seu tempo? Bem-aventurado aquele servo a quem seu senhor, quando vier, achar fazendo assim” (Mateus 24:45,46). O Senhor nos dá oportunidades de servi-lo, e o que se espera dos seus servos é que sejam sempre encontrados fiéis, especialmente no serviço aos outros irmãos.

E que estejamos preparados, mesmo com feroz perseguição, para ficar firmes e fiéis: “Não tenha medo das coisas que você vai sofrer. Eis que o diabo está para lançar alguns de vocês na prisão, para que vocês sejam postos à prova, e passem por uma tribulação de dez dias. Seja fiel até a morte, e eu lhe darei a coroa da vida” (Apocalipse 2:10). Quantos irmãos nossos, em Cristo, estão exatamente neste instante passando por provas inimagináveis, só pelo fato de amarem a Cristo. Em muitos locais a perseguição é dura. E não nos esqueçamos jamais que “Na verdade, todos os que querem viver piedosamente em Cristo Jesus serão perseguidos” (2 Timóteo 3:12).

E que estejamos preparados, em quaisquer circunstâncias, a dizer e a viver:  “Escolhi o caminho da fidelidade e decidi seguir os teus juízos” (Salmo 119:30), conscientes desta Palavra do Senhor: “Não por força nem por poder, mas pelo meu Espírito” (Zacarias 4:6). Sim! É o Senhor em nós!

Salmo 119 – verso 29

Afasta de mim o caminho da falsidade e favorece-me com a tua lei” (Salmo 119:29).

É muito instrutiva aquela atividade: “Encontre o caminho” onde numa página com dezenas de caminhos, você precisa encontrar a única trilha correta que levará ao destino indicado. Todas as demais estradas estão equivocadas. Esta brincadeira mostra que o ditado popular: “Todos os caminhos levam a Deus”, está errado. E mostra consequentemente, que há apenas um único caminho que leva a Deus, que é o próprio Filho de Deus, Jesus Cristo, que afirmou: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim” (João 14:6). Verdade que é corroborada por outros textos muito claros:

1. “Este Jesus é a pedra que vocês, os construtores, rejeitaram, mas ele veio a ser a pedra angular. E não há salvação em nenhum outro, porque debaixo do céu não existe nenhum outro nome, dado entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos” (Atos 4:11,12).

2. “Porque há um só Deus e um só Mediador entre Deus e a humanidade, Cristo Jesus, homem” (1 Timóteo 2:5).

A palavra caminho é muito usada na Palavra de Deus, indicando caminhos errados, perigosos e maus, e também, em contraste, indicando caminhos corretos, bons e justos. Nesta questão, não existe meio termo, ou seguimos por um caminho verdadeiro que leva ao destino almejado, ou seguimos por um caminho que nos deixará perdidos. E o que é a vida, na verdade, se não uma caminhada? Do nascimento até a sepultura, eu, você e todos estamos num caminho e indo para um lugar. Será um lugar de maldito ou bendito? O salmista clamava a Deus: “Afasta de mim o caminho da falsidade” (Salmo 119:29). Ele não queria errar.

Veja como a Bíblia mostra dois caminhos bem distintos:

1. Caminho de Maldição X Caminho de Bênção – “Eis que hoje eu ponho diante de vocês a bênção e a maldição: a bênção, se cumprirem os mandamentos do Senhor, seu Deus, que hoje eu lhes ordeno; a maldição, se não cumprirem os mandamentos do Senhor, seu Deus, mas se desviarem do caminho que hoje eu lhes ordeno, para seguirem outros deuses que vocês não conheciam” (Deuteronômio 11:26-28).

2. Caminho de Trevas X Caminho de Luz – “Mas a vereda dos justos é como a luz do alvorecer, que vai brilhando mais e mais até ser dia claro. O caminho dos ímpios é como a escuridão; nem eles sabem em que tropeçam” (Provérbios 4:18,19).

3. Caminho de Morte X Caminho de Vida – “A este povo você dirá o seguinte: Assim diz o Senhor: Eis que ponho diante de vocês o caminho da vida e o caminho da morte” (Jeremias 21:8).

4. Caminho Tortuoso X Caminho Reto – “No entanto, a casa de Israel diz: ‘O caminho do Senhor não é reto’. Será que são os meus caminhos que não são retos, ó casa de Israel? Não seriam muito mais os caminhos de vocês que são tortuosos?” (Ezequiel 18:29).

5. Caminho Largo X Caminho Estreito – “Entrem pela porta estreita! Porque larga é a porta e espaçoso é o caminho que conduz para a perdição, e são muitos os que entram por ela. Estreita é a porta e apertado é o caminho que conduz para a vida, e são poucos os que o encontram” (Mateus 7:13,14).

Observe que “poucos” são os que encontram o caminho que conduz a vida, o caminho reto, de vida, de luz e de bênção. O problema é que somos enganados e atraídos para não percebermos o bom caminho, e se cumpre o que está registrado tão claramente na Palavra de Deus: “Há caminho que ao ser humano parece direito, mas o fim dele é caminho de morte” (Provérbios 14:12).

Eu preciso, como o salmista, clamar de todo coração: AFASTA DE MIM O CAMINHO DA FALSIDADE, o caminho largo, o caminho tortuoso, o caminho das trevas, o caminho da morte e das trevas. Põe para longe de mim este caminho, coloque-me para bem longe desta trilha traiçoeira e perigosa. Não me deixe ficar enganado seguindo um caminho que me parece direito, mas que ao final me conduz à perdição.

Que seja o meu coração, o meu entendimento, o meu sentimento e a minha vontade atender ao sábio conselho: “Meu filho, escute e aceite as minhas palavras, e os anos de sua vida se multiplicarão. Eu ensinei a você o caminho da sabedoria e o fiz andar pelas veredas da retidão. Se você andar por elas, os seus passos não se embaraçarão; se você correr, não tropeçará. Retenha a instrução e não a deixe; guarde-a, porque ela é a sua vida. Não entre na vereda dos ímpios, nem siga pelo caminho dos maus. Evite esse caminho; não passe por ele; desvie-se dele e passe longe” (Provérbios 4:10-15).

Por isso preciso também clamar, de todo coração ao Senhor, como o salmista: FAVORECE-ME COM A TUA LEI! Colocar-me na dependência do Senhor, e de Sua Palavra, para que me guie e me favoreça, proporcionando a sabedoria e o entendimento para jamais errar no caminho.

É preciso compreender que “como por um só homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado veio a morte, assim também a morte passou a toda a humanidade, porque todos pecaram” (Romanos 5:12). A queda de Adão trouxe consequências para todos os seus descendentes. Esta é a realidade em relação a criatura humana. Cada um, diante do Criador, pode afirmar a respeito de si mesmo: “Pois eu conheço as minhas transgressões, e o meu pecado está sempre diante de mim. Pequei contra ti, contra ti somente, e fiz o que é mau aos teus olhos, de maneira que serás tido por justo no teu falar e puro no teu julgar. Eu nasci na iniquidade, e em pecado me concebeu a minha mãe” (Salmo 51:3-5).

E a consequência do pecado, é patente aos olhos de todos, desde o princípio, quando lemos que “a terra estava corrompida à vista de Deus e cheia de violência. Deus olhou para a terra, e eis que estava corrompida; porque todos os seres vivos haviam corrompido o seu caminho na terra” (Gênesis 6:11,12). E abemos que em seguida veio o dilúvio, como juízo da parte de Deus.

A história que se segue depois de Noé, até os dias de hoje, é a mesma – cada um corrompendo o sua própria caminhada e indo em direção a um destino infeliz, por causa do seu próprio pecado. Deus tem providenciado um caminho que conduz a um destino bendito, tendo enviado Jesus Cristo, Seu Filho Perfeito, para que todo aquele que nEle crê não pereça, mas tenha a vida eterna. E Jesus Cristo mesmo afirmou: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim” (João 14:6).

O profeta Isaias anunciou o propósito da vinda de Jesus ao mundo, afirmando que “ele foi traspassado por causa das nossas transgressões e esmagado por causa das nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas feridas fomos sarados. Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo seu próprio caminho, mas o Senhor fez cair sobre ele a iniquidade de todos nós” (Isaías 53:5,6).

Jesus Cristo, o Caminho – é Ele o único caminho que conduz ao Pai (João 14:6). Só por meio dele é possível ter acesso a um relacionamento verdadeiro e eterno com DEUS. Todos os outros caminhos e alternativas propostas são equivocadas, enganosas e inviáveis.

Busquem o Senhor enquanto ele pode ser encontrado; invoquem-no enquanto ele está perto. Que o ímpio abandone o seu mau caminho, e o homem mau, os seus pensamentos; converta-se ao Senhor, que se compadecerá dele, e volte-se para o nosso Deus, porque é rico em perdoar. ‘Porque os meus pensamentos não são os pensamentos de vocês, e os caminhos de vocês não são os meus caminhos’, diz o Senhor. Porque, assim como os céus são mais altos do que a terra, assim os meus caminhos são mais altos do que os seus caminhos, e os meus pensamentos são mais altos do que os pensamentos de vocês” (Isaías 55:6-9).

Entrar pela porta estreita e cujo caminho é apertado implica em receber a Cristo como seu Senhor e Salvador, tornando-se desta forma um filho de Deus, como afirma a Escritura Sagrada: “Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que creem no seu nome, os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus” (João 1:12,13).

Não se trata de entrar numa religião, mas de deixar o caminho largo da conformidade com este mundo e com o pecado, para andar com Cristo. Envolve uma libertação do pecado, da morte eterna, do império das trevas e também de todo e qualquer “ismo” , este sufixo que é utilizado para definir uma filosofia, uma ideologia, um movimento social, uma doutrina, um sistema, uma teoria, uma tendência, uma corrente etc.

LIBERTAÇÃO DE TODOS OS “ISMOS”

Neste mundo abismal reina o pecado
Que precisa ser do homem destronado.
O amor de Deus tornou possível isto
Quando enviou ao abismo Jesus Cristo

Cristo não veio para criar um “ismo”;
Veio, sim, pra resgatar-me deste abismo.
Entre mim e Deus, Jesus é o sacrifício,
E com Cristo, em mim, eu tenho novo início.

Quão maravilhoso é sair do abismo,
De quem vive prisioneiro de um “ismo”!
Pelos “ismos” sempre há guerras e conflitos
Que se justificam criando seus mitos.

E o universo destes “ismos” é tão vasto,
Todo “ismo”, em si mesmo, é nefasto.
Pelos “ismos” é que um homem é rotulado,
O milagre é ser deles libertado.

E saindo deste abismo há uma estrada
Que conduz à uma montanha escarpada.
É o trilho estreito e escorregadio,
Encará-lo é um imenso desafio.

Com Jesus, na cruz, já identificado,
E com Deus, o Pai, já reconciliado.
Sigo em frente, entoando grato hino,
Consciente de que sou um peregrino!

Gilberto Celeti

“…tenham toda a riqueza da forte convicção do entendimento, para compreenderem plenamente o mistério de Deus, Cristo, em quem todos os tesouros da sabedoria e do conhecimento estão ocultos. Assim digo para que ninguém vos engane com raciocínios falazes… Ora, como recebestes Cristo Jesus, o Senhor, assim andai nele… Cuidado que ninguém vos venha a enredar com sua filosofia e vãs sutilezas, conforme a tradição dos homens, conforme os rudimentos do mundo e não segundo Cristo; porquanto, nele, habita, corporalmente, toda a plenitude da Divindade.” (Colossenses 2:2-9)

Neste texto aos cristãos da cidade de Colossos, esta afirmação; “como recebestes Cristo Jesus, o Senhor, assim andai nele” é muito preciosa, e podemos complementar com esta outra passagem: “Nisto sabemos que estamos nele: quem diz que permanece nele, esse deve também andar assim como ele andou” (1 João 2:5,6).

Muito significativo é perceber como eram reconhecidos os primeiros cristãos, quando lemos: “Saulo, respirando ainda ameaças e morte contra os discípulos do Senhor, dirigiu-se ao sumo sacerdote e lhe pediu cartas para as sinagogas de Damasco, a fim de que, caso achasse alguns que eram do Caminho, tanto homens como mulheres, os levasse presos para Jerusalém” (Atos 9:1,2). Veja só que preciosa designação para os cristãos – os que eram do Caminho!

Afasta de mim o caminho da falsidade e favorece-me com a tua lei” (Salmo 119:29). Que afastados do caminho da falsidade, e favorecido com a Palavra do Senhor que nos coloca, pelo Seu Espírito em Cristo, o caminho, a verdade e a vida, trilhemos o caminho apertado da santidade e atentos para o caminho mais excelente que o Senhor quer nos mostrar que se encontra na primeira carta aos Coríntios, no capítulo treze.

Cristo em vocês, a esperança da glória” (Colossenses 1:27).

Estou crucificado com Cristo; logo, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim. E esse viver que agora tenho na carne, vivo pela fé no Filho de Deus, que me amou e se entregou por mim” (Gálatas 2:19,20).

Quando vocês se desviarem para a direita ou para a esquerda, ouvirão atrás de vocês uma palavra, dizendo: Este é o caminho; andem nele” (Isaías 30:21).

Salmo 119 – verso 28

A minha alma se consome de tristeza; fortalece-me segundo a tua palavra” (Salmo 119:28).

Há uma realidade que precisa ser destacada: ninguém gosta de chorar, pelo contrário, as pessoas vivem em função de buscar alegria, prazer, entretenimento custe o que custar.

Às filosofias e religiões de “autoajuda” nunca faltam milhões de seguidores desejosos de “pararem de sofrer” e de “sentirem-se bem consigo mesmos”.

Aos empresários ligados ao prazer e ao entretenimento, não lhes falta motivação e nem dinheiro, pois a busca por toda a população mundial pelas “falsas alegrias” que são supridas pelos eventos festivos, esportivos, musicais, cinematográficos, teatrais, gastronômicos etc., é infindável.

O ensino do Senhor Jesus Cristo: “Bem-aventurados os que choram, porque serão consolados” (Mateus 5:4), é completamente incompreensível. É um paradoxo. Como pode ser feliz aquele que chora?

Neste tempo de pandemia o sofrimento se agigantou, e as lágrimas se avolumaram imensamente. A dor causada pela doença, pela morte, pelos distanciamentos impedindo o lazer foram notórios; no entanto, gostaria de destacar que estas dores podem se transformar em bênção se levarem as pessoas a reconhecer os seus próprios pecados e a se arrependerem. Observe bem este texto: “Porque a tristeza segundo Deus produz arrependimento para a salvação, que a ninguém traz pesar; mas a tristeza do mundo produz morte” (2 Coríntios 7:10).

Há algumas situações que levam os nossos olhos a verter lágrimas e a alma a se desgastar de tristeza, como o salmista se expressa neste texto do Salmo 119:18, que são muito necessárias para que torne bem-aventurado aquele que chora, por exemplo:

  1. O choro de Isaías ao reconhecer a sua pecaminosidade diante de DEUS que é Santo, Santo, Santo: “Ai de mim! Estou perdido! Porque sou homem de lábios impuros, e habito no meio de um povo de lábios impuros; e os meus olhos viram o Rei, o Senhor dos Exércitos!” (Isaías 6:5). Você já chorou assim?
  2. O choro de Pedro, após ter negado a Cristo pela terceira vez, dizendo: “Não conheço esse homem! E no mesmo instante o galo cantou. Então Pedro se lembrou da palavra que Jesus lhe tinha dito: “Antes que o galo cante, você me negará três vezes.” E Pedro, saindo dali, chorou amargamente” (Mateus 26:74,75). Você já chorou assim?
  3. O choro de Paulo, reconhecendo a sua miséria pessoal: “Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem nenhum, pois o querer o bem está em mim, mas não o realizá-lo. Porque não faço o bem que eu quero, mas o mal que não quero, esse faço. Mas, se eu faço o que não quero, já não sou eu quem o faz, e sim o pecado que habita em mim. Assim, encontro esta lei: quando quero fazer o bem, o mal reside em mim. Porque, segundo o homem interior, tenho prazer na lei de Deus. Mas vejo nos meus membros outra lei que, guerreando contra a lei da minha mente, me faz prisioneiro da lei do pecado que está nos meus membros. Miserável homem que sou! Quem me livrará do corpo desta morte?” (Romanos 7:18-24). Você já chorou assim?
  4. O choro de Jeremias ao ver o povo de sua época totalmente indiferente à Palavra de Deus: “Mas, se vocês não quiserem ouvir, eu chorarei em segredo por causa do orgulho de vocês. Chorarei amargamente e os meus olhos se desfarão em lágrimas, porque o rebanho do Senhor foi levado cativo” (Jeremias 13:17). Ele escreveu o livro de Lamentações, chorando ao ver o povo sofrendo por não dar ouvidos ao Senhor: “Sobre nós vieram o temor e a cova, a desolação e a ruína. Dos meus olhos correm rios de lágrimas, por causa da destruição da filha do meu povo. Os meus olhos choram, não cessam, e não há descanso, até que o Senhor atenda e veja lá do céu. O que vejo entristece a minha alma: o sofrimento de todas as filhas da minha cidade” (Lamentações 3:47-51) Você já chorou assim, olhando para a realidade do mundo ao seu redor?

Bem-aventurados, sim os que choram desta maneira, porque serão consolados. O que o salmista busca é ser fortalecido segundo a palavra do Senhor. E o Senhor afirma: “Serão consolados”, Veja alguns exemplos:

  1. Daniel registrou a sua experiência: “Como pode este seu servo falar com o meu senhor? Porque, quanto a mim, não me resta mais nenhuma força, e quase não posso respirar. Então aquele ser semelhante a um homem tocou em mim outra vez e me fortaleceu. E disse: — Não tenha medo, homem muito amado! Que a paz esteja com você! Anime-se! Sim, anime-se! Enquanto ele falava comigo, fiquei fortalecido e disse: — Fale agora, meu senhor, pois as suas palavras me fortaleceram!” (Daniel 10:17-19). Você já tem sido fortalecido pela Palavra do Senhor?
  2. Paulo foi apedrejado e arrastado para fora da cidade sendo dado como morto. Que sofrimento! E lemos que: “os discípulos o rodearam, ele se levantou e entrou na cidade. No dia seguinte, foi com Barnabé para Derbe. E, tendo anunciado o evangelho naquela cidade e feito muitos discípulos, Paulo e Barnabé voltaram para Listra, Icônio e Antioquia, fortalecendo o ânimo dos discípulos, exortando-os a permanecerem firmes na fé e mostrando que, através de muitas tribulações, nos importa entrar no Reino de Deus” (Atos 14:19-22). Você pode imaginar um servo de Deus mostrando em seu próprio corpo as marcas das pedradas fortalecendo o ânimo dos discípulos?
  3. Jesus, é o exemplo maior: “Era desprezado e o mais rejeitado entre os homens, homem de dores e que sabe o que é padecer. E, como um de quem os homens escondem o rosto, era desprezado, e dele não fizemos caso. Certamente ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre si; e nós o considerávamos como aflito, ferido de Deus e oprimido” (Isaías 53:3,4). E lemos que o Autor e Consumador da fé, Jesus “em troca da alegria que lhe estava proposta, suportou a cruz, sem se importar com a vergonha, e agora está sentado à direita do trono de Deus. Portanto, pensem naquele que suportou tamanha oposição dos pecadores contra si mesmo, para que vocês não se cansem nem desanimem” (Hebreus 12:1-3). Sim, somos fortalecidos ao olhar firmemente para Jesus. E é muito importante observar que “Jesus chorou” (João 11:35). Não como nós choramos pelos nossos próprios pecados, pois Ele é Santo, sem pecado, mas ao ver o estrago que o pecado traz ao mundo.

Se como o salmista podemos dizer de todo coração: “A minha alma se consome de tristeza; fortalece-me segundo a tua palavra” (Salmo 119:28), podemos então ouvir a Palavra do Senhor nos fortalecendo desta forma:

Mateus 5:4 – “Bem-aventurados os que choram, pois serão consolados”.

Salmos 126:5,6 – “Aqueles que semeiam com lágrimas, com cantos de alegria colherão. Aquele que sai chorando enquanto lança a semente, voltará com cantos de alegria, trazendo os seus feixes”.

Romanos 8:18 – “Porque para mim tenho por certo que os sofrimentos do tempo presente não podem ser comparados com a glória a ser revelada em nós”.

Isaías 35:10 – “Os resgatados do Senhor voltarão e virão a Sião com cânticos de júbilo. Alegria eterna coroará a sua cabeça. Ficarão tomados de júbilo e alegria, e deles fugirão a tristeza e o gemido”.

Apocalipse 21:3-5 – “Eis o tabernáculo de Deus com os seres humanos. Deus habitará com eles. Eles serão povos de Deus, e Deus mesmo estará com eles e será o Deus deles. E lhes enxugará dos olhos toda lágrima. E já não existirá mais morte, já não haverá luto, nem pranto, nem dor, porque as primeiras coisas passaram. E aquele que estava sentado no trono disse: — Eis que faço novas todas as coisas. E acrescentou: — Escreva, porque estas palavras são fiéis e verdadeiras”.

salmo 119 – verso 27

Faze-me compreender o caminho dos teus preceitos, e meditarei nas tuas maravilhas” (Salmo 119:27).

Quando se aproximava o dia da morte de Davi, ele deu ordens a Salomão, seu filho, dizendo: Eu vou pelo caminho de todos os mortais. Portanto, tenha coragem e seja homem! Guarde os preceitos do Senhor, seu Deus, andando nos seus caminhos, guardando os seus estatutos, os seus mandamentos, os seus juízos e os seus testemunhos, como está escrito na Lei de Moisés. Assim, você será bem-sucedido em tudo o que fizer e por onde quer que você for” (1 Reis 2:1-3).

No salmo 119 a vontade de atender a estas últimas palavras de Davi, o mavioso salmista de Israel, é notória e impactante: guardar os estatutos, mandamentos, juízos e testemunhos de Deus, de acordo com a Lei de Moisés, e desta forma andar nos caminhos do Senhor.
É o Senhor quem pode fazer-nos compreender o caminho dos Seus preceitos, que nos conduz a meditar nas Suas maravilhas.

Jesus Cristo, o Filho Perfeito de Deus, trouxe-nos ensino e compreensão extraordinária sobre os mandamentos de Deus: “Não pensem que vim revogar a Lei ou os Profetas; não vim para revogar, mas para cumprir. Porque em verdade lhes digo: até que o céu e a terra passem, nem um i ou um til jamais passará da Lei, até que tudo se cumpra. Aquele, pois, que desrespeitar um destes mandamentos, ainda que dos menores, e ensinar os outros a fazer o mesmo, será considerado mínimo no Reino dos Céus; aquele, porém, que os observar e ensinar, esse será considerado grande no Reino dos Céus” (Mateus 5:17-19).

Ficamos maravilhados como Jesus nos leva a compreender com mais propriedade a verdade de Deus, quando nos dá, no Sermão da Montanha, preciosos esclarecimentos comprando os textos da lei: “Vocês ouviram o que foi dito aos antigos”; com o seu ensino: “Eu, porém, lhes digo”, levando-nos a meditar como devemos andar para que o seu mandamento seja por nós praticado: “Assim brilhe também a luz de vocês diante dos outros, para que vejam as boas obras que vocês fazem e glorifiquem o Pai de vocês, que está nos céus” (Mateus 5:16).

Certa ocasião um “intérprete da Lei, querendo pôr Jesus à prova, perguntou-lhe: Mestre, qual é o grande mandamento na Lei? Jesus respondeu: — ‘Ame o Senhor, seu Deus, de todo o seu coração, de toda a sua alma e de todo o seu entendimento.’ Este é o grande e primeiro mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: ‘Ame o seu próximo como você ama a si mesmo.’ Destes dois mandamentos dependem toda a Lei e os Profetas” (Mateus 22:35-40)

Esta oração do salmista: “Faze-me compreender o caminho dos teus preceitos, e meditarei nas tuas maravilhas” (Salmo 119:27) nos leva a pensar que sem conhecer qual é o caminho do Senhor, haveremos de nos perder. O caminho de DEUS é perfeito. Deus na verdade deu-nos o Seu manual de instruções, que é a Sua Palavra, que tem sido comparada a uma bússola que nos dirige. Na verdade os mandamentos do Senhor são um mapa. Se não seguirmos este mapa, nos perderemos. É também andando na vereda dos preceitos do Senhor que podemos descortinar as mais lindas paisagens que nos mostrarão a Grandeza, a Fidelidade, a Justiça, a Misericórdia, a Soberania, a Bondade, o Amor do Senhor e tantas outros preciosos atributos do Deus Triúno.

Há pessoas que entram por seus próprios caminhos e desejam adaptar o Manual a estrada de sua escolha. Desejam reinterpretar a Escritura Sagrada para que fique adaptada ao seu próprio caminhar. Para o salmista não. Ele quer compreender o caminho dos preceitos do Senhor. É seguindo por este caminho que agradamos a Deus e somos úteis para os que são nossos próximos. E sempre precisamos orar: “Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração, prova-me e conhece os meus pensamentos; vê se há em mim algum caminho mau e guia-me pelo caminho eterno” (Salmo 139:23,24).

Observando especificamente as duas tábuas da lei, entregues por Deus ao povo de Israel, podemos compreender pelo menos seis tópicos principais, dentro dos quais podemos inserir cada um dos dez mandamentos, e com a ajuda do Senhor, por meio do Espírito Santo, andar de acordo com a vontade de Deus:

A) QUE SAIBAMOS QUE HÁ UM ÚNICO DEUS

Deus deve ser amado acima de tudo: “Amarás, pois, o SENHOR, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de toda a tua força”. Os dois mandamentos deixam esta verdade muito clara:

1º Mandamento: “Não terás outros deuses diante de mim” (Deuteronômio 5:7).

2º. Mandamento: “Não farás para ti imagem de escultura, nem semelhança alguma do que há em cima no céu, nem embaixo na terra, nem nas águas debaixo da terra; não as adorarás, nem lhes darás culto; porque eu, o SENHOR, teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a iniquidade dos pais nos filhos até a terceira e quarta geração daqueles que me aborrecem, e faço misericórdia até mil gerações daqueles que me amam e guardam os meus mandamentos” (Deuteronômio 5:8-10).

Precisamos compreender a loucura da idolatria. Lutero afirmou: “Aquilo que uma pessoa mais ama, isso é o seu Deus”! Talvez esteja aí a raiz dos nossos problemas: falta de amor para com Deus. Colocamos diversas coisas e pessoas em primeiro lugar e não o Senhor. O que, de fato, nos motiva, nos norteia, nos impulsiona; são as realidades espirituais ou são as realidades terrenas e seculares.

B) QUE TENHAMOS CUIDADO COM A NOSSA LÍNGUA

Há também dois mandamentos que deixam está verdade bem clara:

3º. Mandamento: “Não tomarás o nome do SENHOR, teu Deus, em vão, porque o SENHOR não terá por inocente o que tomar o seu nome em vão” (Deuteronômio 5:11).

É preciso um sério compromisso para não sermos culpados deste terrível mal que incomoda os ouvidos a todo o instante, em toda e qualquer conversa: o uso do nome de Deus indevidamente. É o que está na boca de todos, sem nenhum respeito e consideração para com o Eterno Deus, o Criador do Universo. Até na oração o nome do Senhor é repetido dezenas de vezes, que vira uma reza e não uma conversa com Deus.

9º. Mandamento: “Não dirás falso testemunho contra o teu próximo” (Deuteronômio 5:20).

C) QUE VIVAMOS CADA DIA DA SEMANA CORRETAMENTE

4º. Mandamento: “Guarda o dia de sábado, para o santificar, como te ordenou o SENHOR, teu Deus. Seis dias trabalharás e farás toda a tua obra. Mas o sétimo dia é o sábado do SENHOR, teu Deus; não farás nenhum trabalho…” (Deuteronômio 5:12-15).

O equilíbrio no uso do tempo, distribuído ao longo de uma semana, é sagrado. Há seis dias para trabalhar e fazer o que precisa ser feito. Há um dia para ser santificado. Onde está o que poderíamos chamar de DIA SÁBATICO, onde de fato descansamos, seguindo o exemplo do nosso Criador, que no sétimo dia descansou? Deus sabe que precisamos de descanso para recompor as forças físicas, emocionais, mentais e espirituais. Como explicar a síndrome do estresse que se tornou a palavra mais usada nos dias de hoje?

D) QUE HONREMOS NOSSOS PAIS

5º Mandamento. “Honra a teu pai e a tua mãe, como o SENHOR, teu Deus, te ordenou, para que se prolonguem os teus dias e para que te vá bem na terra que o SENHOR, teu Deus, te dá” (Deuteronômio 5:16).

E) QUE SAIBAMOS QUE DEUS CONHECE OS NOSSOS PENSAMENTOS E AÇÕES

Vivemos dias de extrema violência, quando as pessoas perderam a noção do que é certo ou errado. As pessoas agem como se Deus não existisse. O que mais se observa no dia a dia, seja nos livros que se lê, nos filmes a que se assiste ou nos jogos com que se brinca, é a atitude perversa de buscar prejudicar as pessoas que estão próximas ou prejudicar-se a si mesmo.

6º Mandamento: “Não matarás” (Deuteronômio 5:17).

Deus dá grande valor à vida. Ele é o doador da vida e deu o mandamento de que ninguém está autorizado a tirar a vida que ele dá. Hoje se sabe que em muitos países não é errado fazer um aborto. Ora, um aborto realmente é algo cruel e é assassinato. Contraria o mandamento de Deus. Hoje, em muitos países, considera-se que é certo ajudar pessoas idosas e doentes a morrer. A eutanásia também é assassinato! É Deus quem dá a vida e é Deus – e somente Deus – quem deve decidir quando devemos morrer. Hoje cresce em todo o mundo o número de suicídios, o que também contraria o mandamento de Deus. Ninguém tem o direito de matar a si mesmo.

Jesus ensinou que odiar e sentir raiva de alguém é tão ruim quanto matar. Quantas vezes as pessoas dizem: “Quero que você morra!”

7º Mandamento: “Não adulterarás” (Deuteronômio 5:18).

Quanto ao relacionamento conjugal, lemos em Gênesis 2.24: “Por essa razão, o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher, e eles se tornarão uma só carne”. Um homem e uma mulher devem se casar e viver juntos. Um deve amar, ajudar e encorajar o outro. Eles devem ter filhos e devem ser pais carinhosos para eles. Esse é o plano maravilhoso de Deus!

Deus não quer que haja dois pais ou duas mães em uma família. Deus não aprova isso. Deus não planejou a família dessa maneira. Certamente, porém, Deus ama a todos, até mesmo aos que ainda não obedecem às suas leis.

Quando um homem deixa sua esposa e passa a viver e a ir para a cama com outra mulher, ele comete adultério. Quando uma mulher deixa seu marido e passa a viver e a ir para a cama com outro homem, ela comete adultério. “Portanto, tenham cuidado para que ninguém seja infiel para com a mulher da sua mocidade. Porque o Senhor, o Deus de Israel, diz que odeia o divórcio e também aquele que cobre de violência as suas roupas, diz o Senhor dos Exércitos. Portanto, tenham cuidado e não sejam infiéis” (Malaquias 2:15,16)

O princípio verdadeiro de Deus é que se una um homem a uma mulher. Unir um homem como outro homem e uma mulher com outra mulher é um erro fatal, que não é aprovado por Deus.

Jesus também explicou que pensamentos impuros são tão ruins quanto adultério. Olhar ou pensar com intenção impura significa ter pensamentos sujos. Esses pensamentos vêm à nossa mente quando olhamos uma imagem sexy, em filmes, em DVDs, em revistas ou na Internet, que sabemos que não devemos ver. Olhar essas coisas é quebrar o mandamento de Deus.

F) QUE NOS CONTENTEMOS COM O QUE TEMOS.

8º Mandamento: “Não furtarás” (Deuteronômio 5:19).

Como desapareceu a integridade e a honestidade. A palavra que mais se ouve cada dia é “corrupção”. O roubo é algo bastante comum. Às vezes, o roubo é de coisas pequenas, como canetas; às vezes, é de coisas caras, como celulares ou carros. Outras vezes, o roubo é escandaloso, como os noticiados pela mídia a cada dia, com roubos bilionários de instituições até do governo. Roubar é quebrar o mandamento de Deus.

10º Mandamento: “Não cobiçarás a mulher do teu próximo. Não desejarás a casa do teu próximo, nem o seu campo, nem o seu servo, nem a sua serva, nem o seu boi, nem o seu jumento, nem coisa alguma do teu próximo” (Deuteronômio 5:21).

Deus quer que cada um seja grato por todas as coisas boas que ele tem dado. Não há necessidade de roubar e muito menos de cobiçar. Cobiçar é desejar de todo o coração ter algo que alguém tem, é ter inveja de uma pessoa, desejando ter o que ela tem. A cobiça pode levar ao roubo.

Pode até acontecer que uma pessoa não roube algo de fato, mas quebre o mandamento de Deus por ter pensamentos cobiçosos, desejando coisas, pois não está satisfeito com o que Deus lhe dá.

Claro que não há problema nenhum em querer coisas boas, mas Deus não quer que continuamente desejemos e desejemos ter mais e mais coisas. Também não é errado desejar obter coisas melhores, mas é errado ter inveja das pessoas que têm coisas melhores que nós. É claro que podemos gostar de alguma coisa que pertence a alguém, mas não podemos nos sentir infelizes, ciumentos e invejosos pelo fato de não possuirmos tudo o que desejamos.

É difícil não quebrar o mandamento de Deus que diz para não cobiçarmos. As propagandas que vemos todos os dias dizem que só podemos ser felizes se tivermos o que nos oferecem. Se o anúncio tenta você a cobiçar, pare de assistir a ele ou, enquanto assiste a ele, pense em todas as coisas boas que Deus tem dado a você.

SENHOR, “faze-me compreender o caminho dos teus preceitos, e meditarei nas tuas maravilhas” (Salmo 119:27).

Finalmente, leia com atenção e em oração, na Primeira Carta de Paulo aos Coríntios, o capítulo 10. Que rica instrução! Que não nos tornemos “motivo de tropeço nem para judeus, nem para gentios, nem para a igreja de Deus” (verso 32) e que, “assim como recebemos Cristo Jesus, o Senhor, continuemos a viver nele” (Colossenses 2:6) porque ELE, JESUS CRISTO, é o caminho!

Salmo 133 – O 14º degrau

Chegada ao 14º dos quinze Salmos dos Degraus

SALMO 133 penúltimo degrau – O 14º Passo

JESUS CRISTO, SUA PRESENÇA, EM NÓS, NOS TORNA IRMÃOS UNIDOS

Preciosa foi de Cristo a oração
Que os Seus tivessem um só coração!
Eu preciso alcançar maturidade
Como membro da cristã comunidade,

Pra ocupar o meu espaço com alegria
E viver com a irmandade em harmonia.
Peregrino, sigo avante, não sozinho,
Pois há muitos mais, andando no caminho.

Pela cruz passamos, fomos perdoados,
Como filhos de Deus fomos adotados,
Pelo Espírito de Deus fomos ungidos,

Sua presença, em nós, nos torna irmãos unidos.
E nesta unidade boa, amável e terna
Deus derrama com abundância a bênção eterna!

Gilberto Celeti

Já alcancei este degrau?

Para acessar os degraus/sonetos anteriores acesse poesias no site:
https://gilbertoceleti.wordpress.com/category/poesias/

Gilberto Celeti

Textos de um peregrino a caminho da Pátria Celestial

www.alerocha.net/

Apenas um peregrino...

Gospel1 WE BORN TO BROADCAST HIM

Just another WordPress.com weblog

My Blog Divonsir Borges

Pesquisar,analisar,arquivar,divulgar.

biblioterapiaa.wordpress.com/

Palavra originada do grego. Biblion: todo tipo de material bibliográfico ou de leitura Therapein: tratamento, cura ou restabelecimento

Pregando a Verdade

Reflexões cristãs para o nosso dia a dia

Florencio1's Blog

Just another WordPress.com site

martinhochimene

A topnotch WordPress.com site

martinchimene

Martinho Chimene

APEC / Brasil

Proclamar a pessoa extraordinária de Jesus Cristo a todas as crianças, em todos os contextos e culturas é a prioridade máxima!

Pr Eber Jamil's Weblog

O CANTINHO DAS MINHAS IDEIAS...

TEOPOESIA

Textos de um peregrino a caminho da Pátria Celestial

%d blogueiros gostam disto: